Follow my blog with Bloglovin

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

aleluia, aleluia

hoje é dia de beijar o senhor 

se não forem católicos, escolham um do vosso agrado.

para os católicos ou pseudo católicos, com medo de transmissão de doenças, aconselho a leitura das minhas estratégias para evitar uma orgia não sanitária de beijos no senhor (não têm de agradecer!)

 

 

 

 

entretanto deixo aqui também as 15 soluções da terceira e última parte do teste de inteligência

 

 

ups a última (resposta à questão n.º 40) não cabe na galeria

soluções teste de inteligência

 

feito o teste e apurados os resultados... tirem as vossas conclusões 

 

nota: todos os exercícios são retirados do livro “1000 testes e jogos de inteligência”

 

 

a ironia da páscoa no dia das mentiras

sempre andei à turra e à murra com a igreja católica.

sou católica por educação - já só me faltam dois sacramentos! -, mas desde a adolescência, quando comecei a pensar por mim, que não me identifico com as doutrinas da igreja.

a exclusão das pessoas em vez da sua inclusão, a descriminação, a promoção da culpa, a condenação dos pecados …a hipocrisia dos pecadores no coração da igreja…

tenho alguma esperança de que o chiquinho mude alguma coisa, mas um monopólio tão poderoso como o é o da igreja católica mais rapidamente derruba o homem, a qualquer custo, do que deixa derrubar os seus fundamentos mais tradicionalistas.

sendo que o dia de ressurreição de cristo, domingo de páscoa, se comemora, este ano, no dia das mentiras, estaremos perante um eclipse da fé? perante a constatação de que este “facto”, relatado milenarmente, não passa de uma mentira? ou simplesmente perante a impossibilidade de mentir num dia santo?

há pouco tempo a minha mãe comentou que achava que eu deveria batizar a minha filha. perguntei-lhe por que? ela disse apenas: porque seria bom para ela caso lhe aconteça alguma coisa. só fui capaz de lhe responder, de coração, que se lhe acontecer alguma coisa e se deus for bom, não preciso de me preocupar com isso. se o nosso argumento for a vontade de deus e não a acusação da sua ausência em diversas situações que ocorrem no mundo, deixamos a outra parte sem grande argumento.

eu acredito que há um deus, que existem energias, boas e más, que não existe um espaço e tempo estanques e que somos mais do que o corpo que habitamos. não há um céu prometido. há o dever de fazer o bem e de honrarmos a vida que temos. um compromisso com a evolução do nosso ser. o que acontece nos entretantos? não sei. se esta é a realidade? não sei. mas é nisto que vou acreditando.

claro que esta minha crença não dá, à minha filha, o direito a uma grande festa com fatiota e rituais; nem pessoas responsabilizadas por cuidar dela no caso da morte dos seus pais; não lhe dá presentes todas as páscoas, nem direito à personagem da madrinha e/ou padrinho na sua vida. mas acredito que lhe traga a possibilidade de uma compreensão mais ampla da fé, da aceitação do outro e da responsabilidade sem culpa.

respeito as escolhas de todos, mesmo aquelas que não entendo. no entanto, não consigo deixar de refletir sobre o que me mete confusão.

pácoa

imagem retirada daqui

a propósito das tradições pascais

sim, eu sei que a páscoa já lá vai, mas como ando com um jet-lag emocional decidi partilhar convosco uma informação de utilidade publica a utilizar em anos vindouros.

na minha santa terrinha existe a tradição de o sr. padre ou alguém por ele indigitado, levar o cristo às casas da paróquia, permitindo aos cristãos comungarem do regozijo da ressuscitação do sr.

as famílias que desejarem receber a visita pascal deverão adornar o chão das suas entradas com flores e verdes. ao som dos sinos que a comitiva faz soar, e seguido do “aleluia, aleluia, cristo ressuscitou”, o sr. padre diz umas palavras, reza com a família uma oração, abençoa os presentes e a casa e dá o a cruz do sr. a ser beijada pelos presentes.

como católica, não praticante, bem dispenso estas cerimonias; mas a minha mãe não. assim, todos comungamos da festa da ressuscitação do sr. no entanto perturba-me colocar os beiços numa cruz beijada por muitos (onde está a delegada de saúde ou a asae nestes momentos?!). usava, até há pouco tempo, uma de duas estratégias: 1) o beijo a uma distância de segurança ou, 2) a colocação de dois dedos sobre o sr e o beijar os meus limpos dedos; ambos os gesto sempre acompanhados do olhar reprovador do portador da cruz.

uma amiga minha fez-me ver a luz. uma forma de reduzir o risco de doenças e nojices sem ficar mal vista pela comitiva do sr. a solução parece óbvia, discutível, mas a meu ver, eficaz. não sei se a ideia lhe surgiu numa epifania qualquer, numa simples reflexão entre copos sobre o assunto… ou mesmo num outro contexto sobre o qual prefiro não especular. mas vamos ao que interessa: como beijar o sr sem ficar conspurcado por uma doença qualquer ou ser mal visto por uma comitiva pascal? elementar meus queridos: beijem o sr no pénis! nenhum presado católico terá coragem de o fazer!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

instagram

facebook

pinterest

blogs portugal

Follow

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D