Follow my blog with Bloglovin

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

o prazer de comer

gosto de comer. adoro experimentar coisas novas. adoro sabores complexos, mas também os delicados. a criatividade na cozinha apaixona-me, mas também o saborear a nossa cozinha tradicional - este país, de brandos costumes, é uma ode ao prazer de comer.

uma das coisas que gosto em viajar é experimentar coisas novas, quer seja em portugal ou pelo mundo fora.

com a bebida acontece o mesmo (quentes, frias, naturais, processadas, com e sem álcool – o importante é a sua irreverência).

até há pouco tempo não tinha percebido a importância que o paladar tinha para mim. de como pode afetivamente ser uma fonte de prazer.

heis alguns exemplos:

- queijo da serra amanteigado, uvas e vinho tinto .o sabor característico e intenso do queijo da serra é suavemente domado pela uva – que o aprisiona respeitando a sua personalidade e permitindo-o mostrar o melhor de si. o quente e aveludado do (bom) vinho tinto (alentejano ou do douro) funde-se com o sabor deixado na boca, transformando-o em algo delicadamente intenso, que apela à contemplação do momento numa relaxante descompressão.

- café expresso (delta), puro e sem açúcar, e magnum caramel & nuts. um gole de café amargo, quente e intenso põe o palato em alerta; este estremece com a trica no crocante e estaladiça gelado, abrindo caminho ao doce e frio sabor da nata que deixa escorrer do seu interior o suave caramelo. uma diversidade de texturas, temperaturas e sabores que me deixam simplesmente em êxtase!

- espumante e ostras. comer uma ostra é sentir o mar a invadir a nossa boca. delicada e salgada, a sua suave textura brinda-nos com uma sensação única. beber o espumante, é como ter, na nossa boca, o mar a banhar areia – o suave e fresco borbulhar, na quente e ansiosa areia.

bem…só de recordar já tive o meu momento do dia!

o meu paladar e as memórias que me traz são uma grande fonte de satisfação! por isso não deixo nunca de o mimar 

prazer de comer

imagem retirada daqui

no bom caminho

este ano estou empenhada em cumprir os meus objetivos de passagem de ano.

ok. muitos dirão: "vai com calma que ainda só passaram 13 dias"

é um facto. mas já foram 13 dias de trabalho.

o que quer dizer, pelo menos, que estou no bom caminho 

pegando nas minhas resoluções para 2019, de 8, 4 já estão em andamento. nada mau!

partilho com vocês a execução da segunda "cortar radicalmente o cabelo (sabem o que se diz “quando uma mulher corta o cabelo, a sua vida está prestes a mudar!”)"

tipo programa da cristina, do goucha ou de outro/a qualquer, vejam de seguida:

 

o antes

49898752_739563103086558_3264724484162060288_n.jpg

 

e - não vos obrigando a voltar amanhã para ver o resultado num novo post (faço mal porque isso é que dá audiências) -

 

o depois

50006586_2131602113822074_4510873601162870784_n.jp

estou a ficar muito moderna, já tiro fotografias nas casa de banho! 

resolução 2019: ser (mais) feliz!

como andam por aí as resoluções para 2019?

tic, tac, tic, tac

 

2019...um ano para ser feliz.png

 

por cá já estão vem definidas e prontinhas a serem cumpridas! (estás não têm margem para fuga):

  • concluir o mestrado (arre que é uma pedra no sapato …)
  • cortar radicalmente o cabelo (sabem o que se diz “quando uma mulher corta o cabelo, a sua vida está prestes a mudar!”)
  • fazer todos os meses uma “fuga” com a minha princesa
  • voltar aos trabalhos de diy, bricolage e decoração – a minha estratégia de relaxamento ideal
  • retomar o exercício físico (mesmo sem vontade nenhuma, mas tem de ser, preciso mesmo de fortalecer as minhas costas!)
  • organizar melhor as minhas refeições de modo a ter sempre disponível comida saudável
  • continuas a “destralhar” (o que não é fácil para amantes de trabalhos manuais…pois tudo pode dar jeito, tudo poderá a vir a ser outra coisa, tudo…)
  • estar com alguém que me seja especial uma vez por mês

 

simples, rápido e eficaz.

bem, quiçá não seja assim tão simples, nem tão rápido, mas certamente será eficaz no bem-estar e na felicidade que me trará – por um lado fechar assuntos, por outro cuidar de mim e das minhas relações, a fórmula ideal para apaziguar a alma.

sei que é nesta fase do ano que nos enchemos de coragem e de vontade de mudança, de fazer o que ainda não foi feito (citando o meu adorado abrunhosa) e que depois…esta vontade facilmente se dilui nos primeiros dias do ano, quando nos apercebemos que nada mudou, esquecendo que a mudança que pretendemos está em nós e não nos outros, no cosmos ou em coisa que lhe valha.

assim este ano optei por coisas que têm mesmo de ser, que me estão a atrapalhar a felicidade e eu, como não sou de coração masoquista, quero mesmo ser feliz! a concretização das minhas resoluções (acho que é o nome que se dá nesta altura do ano, noutra altura qualquer seriam decisões ou objetivos) depende em exclusivo de mim, pelo que não posso responsabilizar mais nada ou alguém pelo seu incumprimento. este aporte de responsabilidade dá-me também um poder único de comandar a minha vida e a procura do que me faz feliz.

 

bom ano a toas e a todos,

boas resoluções,

boa caminhada para a felicidade

 

a pasmaceira da rotina

mais um ano a terminar.

outro quase a começar.

e eu, aqui, a sentir-me…perdida nesta transição.

tirando a magia e constante desafio da maternidade, sinto que 2018 foi um ano insosso quer a nível profissional, quer ao nível dos relacionamentos.

a questão é que não sei se posso ou não dissociar este facto, do facto de ter sido mãe e isso necessariamente ter mudado a minha vida.

a nível profissional praticamente só trabalhei meio ano… saí e voltei e tudo se manteve igual, sem novos desafios, sem mudanças, ou seja, sem me dar pica.

no meu relacionamento amoroso, pelo acréscimo das exigências que a pequena me trouxe, estou menos tolerante para comportamentos egoístas, para aí aí aí que me dói o dedo do pé, para atitudes do género “se faço de conta que não vi, não tenho de fazer”- agora compreendo porque nem todos os relacionamentos resistem ao nascimento da primeira cria! por cá as discussões viraram rotina e ... já não há paciência!

com os amigos apetece estar mas nunca se consegue estar a 100% porque há um ser maravilhoso que depende e exige de nós. por outro lado, há os contextos de grupo os quais nem sempre são adequados a pequenas princesas. pelo que acabo por me dar e dedicar apenas aos amigos do coração, os outros (os dos copos, os das compras, os do trabalho, os novos…) terão de esperar ou esquecer a minha existência – por vezes tenho saudades destes, são relações mais leves. estes momentos com seres externos ao lar exigem planeamento, gestão para que corra tudo bem... por isso parece que estou a preparar um evento no trabalho 

a maternidade trouxe-me uma rotina que me perturba.

a rotina é chata.

a rotina cria padrões.

a rotina limita a espontaneidade.

a rotina mata a criatividade.

a rotina não me traz felicidade.

sei que a princesa precisa da rotina.

sei que a rotina lhe traz segurança.

assim, procuro o equilíbrio.

uma rotina que não me leve à loucura, com umas fugas aqui e ali, que não lhe tragam desconforto.

como vêm com ela tudo perfeito.

com ele, os outros e o trabalho… pois vamos ver.

rotina

fotografado pela mami: arte de rua - ilha terceira, açores

há cada uma #23

há muito que não escrevia nesta bela rubrica. mas tenho uma situação desta quadra natalícia que seria imperdoável não partilhar com as belas pessoas que por aqui passam, na esperança de lhes despertar um inusitado sorriso de “como é que é possível?!”

já viram o afortunad@s que são ?!

vamos agora ao que interessa: a história.

anos atrás, a instituição onde trabalhava, aproveitava as mega promoções de brinquedos do jumbo (até 60% de desconto e por vezes mais) para comprar as prendas de natal para as crianças.

normalmente ia a estas compras com uma colega minhas por sermos ambas responsáveis por valências (agora respostas sociais) com crianças.

por norma comprávamos cerca de 150 prendas. era sempre uma manhã enfiadas no meio dos brinquedos, na conversa com os funcionários de secção e de armazém. era cansativo mas também divertido.

num ano, após fazer as compras enquanto aguardávamos que fizessem os embrulhos, saímos do shopping, com dois carrinhos de supermercado cheios de tralha, para a minha colega fumar. era dezembro mas estava um belo dia de sol. sentámo-nos nas escadas do exterior do  centro comercial. estamos numa amena cavaqueira quando passa um senhor que se dirige a nós dizendo: “boa tarde meninas, desculpem, mas tenho de vos dizer, tão bonitas que vocês são podiam andar na prostituição e andam aqui a trabalhar”. estamos nós parvas a entreolhar-nos e a olhar para o senhor de boca aberta a tentar perceber o tom e que mensagem queria ele transmitir enquanto ele sobe à sua motoreta e arranca rua fora.

e pronto,

quiçá eu e a minha amiga passamos ao lado de uma (boa) carreira na prostituição

ou

quiçá o senhor queria ser o nosso “agente”.

ou,

quiçá aquilo foi um elogio ao trabalho.

ou,

quiçá foi apenas um devaneio

há cada uma #23

imagem retirada daqui

mas na certa… há cada uma!

 

 

não se esqueçam de deixar os vossos contributos com as vossas melhores experiências de 2018 aqui

 

desafio do advento dia 12 dezembro

quando passas a pensar em como sorrir...

olá!

o meu nome é mami e tenho um problema: estou a envelhecer.

claro que sei que envelhecer é bom: é sinal de que estamos vivos! que a vida continua e sortudos somos se for essa a nossa única preocupação.

nunca fui vítima da minha, arrogante ou vaidosa...em demasia (pese as opiniões dos outros).

tive a sorte de nascer "bonitinha". nunca tive de me preocupar muito em embelezar-me ou disfarçar os meus defeitos (que obviamente também os tinha), mas o kit básico era satisfatório.

agora que as rugas emolduram o meu olhar, decoram o meu pescoço e subtilmente, de forma quase terna, delineiam os meus lábios... começo a sentir a pressão da idade no que à beleza toca.

nunca me ocorreu pensar em como sorrir, ou melhor, não sorrir para uma fotografia. simplesmente abria os lábios e partilhava a emoção que inundava o meu ser. agora, volta e meia, "apanho-me" a corrigir o meu sorriso para este não ser tão aberto e revelador dos meus "pés de galinha".

assumo: isto começa a incomodar-me.

quero sorrir livremente sem pensar. mas o meu inconsciente começa a ganhar caminho e castra o meu sorriso.

como boa obcecada que sou experimento tudo à procura do meu milagre. não tenho tido grande sucesso. nem caros, nem baratos,  ainda não encontrei o produto que me faça ver as rugas menos acentuadas.

sei que muitos dirão - eu também o diria - que o que tenho de encontrar é a forma de resolver esta minha obsessão. sei que a aceitação das rugas virá com o tempo (que remédio!), mas até lá preciso sentir que estou a fazer algo para as combater.

a experimentar no momento: óleo de rosa mosqueta 100% puro da "the ordinary"

 

Untitled design.png

outono - o desafio

 

para mim outono rima com! 

doce de abobora …eu sei que não rima, mas combina

 

as minhas cores de outono são!

castanho e amarelo-torrado

 

a minha fruta preferida de outono!

castanhas…esperem aí…as castanhas são um fruto?!

 

a maior celebração de outono!

s.martinho – troco a jeropiga pelo vinho do porto

  

o que mais gosto nesta estação!

as cores, os casacos que nos dão um ar de divas

 

o que menos gosto nesta estação!

as manhãs e noites gélidas.

 

outono - o desafio

 imagem retirada daqui

 

obrigada querida mimi por esta nomeação para o desafio  

estas "lembranças" são miminhos para mim.

vou aproveitar para dar miminhos, através da nomeação à mariali, à mamã silvestre e à miss x. meninas toca lá a responder às questões 

sou uma mimada

adoro quando as pessoas se lembram de mim e me mimam com a sua atenção.

embora já tenha respondido anteriormente a este desafio – sunshine blogger award, achei tão boas as perguntas colocadas pelas bloggers que não resisti em responder.

obrigada minha lindas pela lembrança e pela presença.

21146079_AZ1jT.jpeg

nota aos leitores: com este tipo de coisas começo a achar que muitos de vós me conhecem melhor que a maioria das pessoas com as quais privo no dia-a-dia!

 

as excelentes questões da (d)eficiente dona de casa 

1. consideras que o teu melhor atributo é algo físico ou sobre a tua personalidade?

personalidade. o físico pode ajudar muitas vezes, mas são as características da personalidade que fazem a mudança.

 

2. há algo que nunca tenha feito e sempre teve vontade de fazer? por que não fez ainda?

tive a oportunidade de ir fazendo o que a vontade me trouxe, mas há sempre viagens a fazer e coisas a experimentar.

 

3. qual é seu lugar favorito para fugir do mundo?

longe. preciso de me afastar de casa (não das pessoas) para me sentir livre.

 

4. se o dinheiro não importasse, qual seria seu trabalho ideal?

viajante

 

5. se pudesse converter em uma personagem de ficção (livro, obra de teatro, filme,etc.) quem seria?

o génio da lâmpada

 

6. se você pudesse ter uma conversa com qualquer pessoa, incluindo aquelas já falecidas, quem seria?

hitler – precisava de perceber aquela cabeça e na verdade dizer-lhe umas quantas coisinhas…ate aprendia alemão se fosse necessário!

 

7. se pudesses escolher outro lugar para viver, qual seria?

numa vila à beira mar na costa alentejana

 

8. o que fazes para aliviar o stress?

quando é muito…choro! descomprime

 

9. como costuma ser o teu dia-a-dia?

monótono e com escassez de tempo!

 

10. de que dia da semana gostas menos? porquê?

segunda…eu sei que não é original…mas é verdade. pelas razões óbvias.

 

11. se pudesses ter um superpoder, qual seria?

teletransporte

 

 

 

e agora, as questões da querida maria do blog sorriso incógnito  

1. tens alguma amizade de infância/escola que seja mesmo das boas? se sim, como ultrapassaram a barreira dos anos.

neste tipo de relações o tempo ganha uma nova dimensão, cada vez que estamos juntos é como se não houvesse passado tempo algum

 

2. se tivesses uma bola de cristal para saber do teu futuro qual a pergunta que mais te interessava fazer?

não faria nenhuma…o futuro muda a cada decisão nossa.

 

3. porque é que alguém te deve um pedido de desculpas?

por não saber valorizar a amizade

 

4. davas um rim por quem?

pela minha filha, pelo meu amor, pelos meus pais, pelos meus irmãos, pelos meus sobrinhos …até pelos pais deles se disso dependesse a sua felicidade.

 

5. o que te faz gostar de um blog?

nuns da honestidade de quem escreve, noutros da utilidade dos conteúdos

 

6. tens algum "eu já..." que te faz corar a alma e que possas partilhar?

eu já fiz tanta coisa… e nem todas bonitinhas

 

7. escolhes apontar algo a um amigo ou calaste com medo de beliscares a amizade? 

depende da amizade. da situação. naquelas amizades de unha e carne é de sempre de falar mesmo que que isso possa, por uma fase, beliscar a relação. é uma questão de dever e responsabilidade.

 

8. colecionas alguma coisa? 

memórias

 

9. já estiveste perto da morte?

penso que não

 

10. o que é que ficou por dizer a alguém que talvez nunca irás dizer?

amo-te

 

11. uma situação que te fez rir até ficares com ciscos nos olhos?

tantas, tantas, tantas! não sou de riso fácil (detesto piadas ou filmes óbvios), mas quando surgem coisas inesperadas e muitas vezes com doses de cumplicidade… deleito-me

as coisas boas da vida

sou uma pessoa muito sensorial e emotiva.

de lágrima sempre à espreita: quando estou feliz, quando estou triste, quando estou furiosa, quando estou enternecida ... nem compreendo como tenho retenção de líquidos! e o sorriso a rasgar o rosto pelas coisas mais diversas…das parvas às eruditas!

parece que descrevo um ser de extremos, inconstante e algo louco. bem, sem patologias associadas, por vezes, sou mesmo de extremos...no que isso tem de bom e de mau. 

esta forma plena de sentir trouxe-me a intensidade que procuro. viver para mim tem um significado muito próprio, arrebatador, inquietante e por vezes intangível pela tangibilidade do ser, das suas condições e contextos.

contudo hoje estou aqui para falar de coisas boas e não para me perder no emaranhado das minhas vontades.

e o que é a felicidade senão o somatório de momentos de felizes?!

decidi indagar as coisas boas da minha vida, que me aportam momentos de felicidade, numa viagem pelos 5 sentidos ... não é muito original, mas é muito eu!

visão: ser deslumbrada por novos recantos

audição: aquele “amo-te”

paladar: um copo de bom vinho

olfato: a terra molhada pela chuva de verão

toque: a carícia da princesa

 

é tão pacificador perceber que toda eu sou feita de felicidade!

 

 

nota: obriguei-me a não cingir os meus sentido à princesa... pois na verdade ... não há nada nela que não desperte o melhor de mim!

coisas boas da vida

imagem retirada daqui

músicas & momentos

todas nós temos aquela(s) música(s) que ouvimos no final de uma relação. músicas que nos ajudam a martirizar e a abrir as torneiras :)

acho terapêutico cantar aos berros entre lágrimas o nosso desamor.

as nossas amigas são companheiras na nossa viagem e pesquisa no youtube das nossas músicas.

a coisa acaba mais ou menos sempre igual: gargalhadas entre lágrimas, um "copito" (adoro eufemismos) a mais e um gang feminino contra o sexo masculino - o visado e todos os outros, pois claro, são todos iguais.

este é um belo exemplo desses momentos:

fica a letra e o original de massiel

deja de pensar, y cuéntame,
ya se que ayer estabas junto a él y hoy
se ha ido.
ya se que has compartido junto a él
la noche tibia y el amanecer.
ya se que as descubierto junto a él,
la dicha.
ya se que se a parado tu reloj,
pero ahora mismo vas a echarlo andar,
es pronto para dar por un amor,
la vida.
coro
bailaremos un vals,
tomaremos después una copa de más,
y hasta que salga del sol cantaremos al son
de una vieja guitarra.
brindaremos por ti,
brindaremos por el porque le vaya bien,
y mañana verás que es mejor olvidar
que llorar un amor.

vuelve a sonreír, olvídate,
la vida es ancha y estos golpes del amor
se olvidan.
después de cada noche sale un sol,
y vuelven las gaviotas a volar,
después de la tristeza nacerá
la dicha.
sí hoy te han maltratado el corazón,
y duerme junto a ti la soledad,
no importa porque empieza un día más,
la vida.

 

diz-se que: no hay mal que dure 100 años ni cuerpo que lo aguante

Mais sobre mim

com o teu irs ajudar não custa mesmo nada

com um xi-coração podes ajudar!

leitura para crianças

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

rasurando

logo.jpg

diz não à violência doméstica

instagram

facebook

pinterest

segues-me?

Follow

Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D