Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

amor

sempre tive inveja daqueles seres que têm o seu companheiro a olhar embebecido para elas, que lhe veem beleza em cada poro e admiração em cada ato.

nunca tive isso.

isso deixa-me algo triste.

nunca perspetiva romântica penso que quiçá ainda não tenha encontrado o tal, que quiçá nunca o encontre.

hoje, no trabalho, atendi um casal peculiar.

a sra. leva-me ao desespero pelo discurso “de o mundo está contra mim”, ele pacientemente chama-a a realidade e foca-se na situação. sempre de forma empática e conciliadora.

ela vai iniciar um processo que ele também anseia, mas o dinheiro não dá para os dois. dinheiro esse que é auferido por ele e que ele sem hesitar lhe diz que tem tempo depois, que ela está primeiro.

assim, sem importar-se, pelo prazer que lhe dá fazê-la feliz, ele põe-se em segundo plano.

está é quiçá uma bela e simples definição de amor.

amor

imagem retirada daqui

 

vida suspensa

depois de duas semanas em que mal tive tempo para me lembrar de mim… cá estou num merecido descanso…perdida na beleza do alentejo.

é incrível como o trabalho consegue “suspender” a nossa vida. isto não é uma queixa, mas sim uma reflexão e uma constatação.

nas últimas duas semanas (incluindo fim-de-semanas) saí de casa às 8h00 e regressei às 21h00. tendo em conta que dormir é essencial, tomar banho e comer também, tinha cerca de 2h por dia para tratar de mim…mas na verdade a nossa casa não se compadece com a nossa ausência e rouba-nos tempo em coisas desinteressantes, porém obrigatórias. para cúmulo, o trabalho exigia sempre preparação de pequenas coisas de um dia para outro. entrei num ritmo em que o meu “eu” estava adormecido e a minha vida efetivamente suspensa.

o que me irrita, perturba e me faz duvidar da minha inteligência é que trabalho para uma entidade que não valoriza o esforço dos seus colaboradores (que designam por subordinados) e na qual, quer se faça muito, quer se faça pouco, são todos iguais e dispensáveis. o meu “problema” é que só sei trabalhar de forma apaixonada. adoro desafios e projetos, que eu própria procuro e faço crescer…claro que “me saem do pelo” e reconhecimento “zero”, pois só “fiz porque quis”. ando num dilema existencial a lidar com isto. sobretudo porque estes últimos dias senti mesmo que “não vivi” para além daquilo. fiquei feliz com o resultado, mas começo a questionar se não estarei a entregar-me para nada e a prejudicar a minha vida pessoal por carolice? e pior, não serão comportamentos como o meu que levam os “hierarquicamente superiores” a desvalorizar o trabalho de pessoas apaixonadas (pois sabem que o farão de qualquer maneira)?

volta e meia tenho estas crises profissionais…mas quiçá começam a ser demais. receio que a minha frustração, acumulada, me torne má profissional, acomodada e zangada.

 

vida suspensa

(imagem retirada daqui)

Mais sobre mim

leitura para crianças

com um xi-coração podes ajudar!

Posts mais comentados

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

diz não à violência doméstica

instagram

facebook

pinterest

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

rasurando

logo.jpg