Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

compradora compulsiva, eu?!

que disparate.

apenas gosto de aproveitar (todas) oportunidades de fazer boas compras.

há promoções que não podemos deixar escapar (mesmo que ocorram todas as semanas!)

poupar, poupar, poupar é o meu lema, mesmo que para isso tenha que gastar, gastar, gastar.

precaver os essenciais; estes nunca são de mais (até que se acumulem de tal forma que se tornem desperdício)

os saldos são excelentes para renovar o guarda-roupas (antas peças baratinhas e bonitinhas, tenho de aproveitar, mesmo não sabendo quando as vou usar)

as crianças precisam de roupa para o próximo inverno, estão a crescer … tão bom camisolas a 2€ (mas será que precisam de 10?!). quantas vezes compramos porque é barato, não porque precisemos?

a poupança não reside em comprar muito porque está barato, consiste em comprar de forma consciente aquilo que precisamos. para isso, necessitamos de investir tempo em ver o que temos, em arranjar uma forma de organização daquilo de temos, para depois sim, ter consciência do que precisamos.

não foi fácil perceber que era/sou uma compradora compulsiva. há um ano que tenho esta consciência e tenho tentado combater este impulso de aproveitar “pechinchas”. esta questão levou-me a tomar consciência do impacto ambiental da produção daquilo que consumimos em excesso e do desperdício que produzimos. somos todas e todos responsáveis por esta cadeia. eu decidi por um travão e contra isso luto.

vivemos numa perspetiva do consumo rápido, do descartável … e isso é irresponsável!

aliado ao meu problema do consumismo tenho o facto de ser uma acumuladora (estou condenada a sucumbir entre trapos!). tenho dificuldade em me desfazer das coisas, porque algum dia as voltarei a usar (ou as usarei pela primeira vez). até nas coisas das crianças que claramente nunca as voltarão a usar! ou aquele sofá que um dia arranjarei… a desvantagem de ser uma pessoa com as minhas características e viver numa vivenda é que há sempre um lugar onde acumular mais tralha.

este processo de consciencialização é mais exigente e desgastante do que tinha imaginado. é mais fácil e rápido comprar coisas novas, do que fazer um inventário, organizar e reutilizar o que já possuímos (sobretudo quando temos anos de acumulação de toda a espécie de “coisas, só apetece virar as costas e fugir!).

este é o desafio que me acompanhará em 2021. ser mais consciente do que tenho, do que preciso e do que compro. e, no momento de comprar, fazer escolhas mais sustentáveis. partilho com vocês porque isso compromete-me. porque me faz sentir que, de alguma forma, não estou sozinha e tenho perante “quem” responder.

desejem-me (muita) sorte!

e se for o caso inspirem-se e acompanhem-me nesta (longa) viagem.

sustentabilidade

 

 

30 dias de desapego

desafio

todas as regras de feng shui referem que não devemos ter coisas partidas ou "paradas" em casa, pois estagnam o fluxo de energia.

naturalmente acumulamos coisas ao longo da vida, ano após ano, novas coisas se vão "instalando" na nossa casa. o desafio do desapego consiste em, durante um mês, desfazer-nos do que não precisamos, do que está a mais. procuramos por um lado espaços mais livres e minimalistas, por outro facilitar que a energia flua no nosso lar.

desafio do desapego

 

o desafio consiste em cada dia nos desfazermos do número de objetos equivalente ao número do dia. ou seja, no primeiro dia, um objeto; no segundo dia, dois objetos; ... no vigésimo nono dia, vinte e nove objetos; no trigésimo dia, 30 objetos.

agora que a princesa esta (quase) a chegar acho importante praticar este desapego, criar espaço para todas as boas energias que a minha pequena nos trará!

à primeira vista parece um desafio difícil, mas se pensarmos em roupa, revistas, produtos, medicamentos, caixas ou tampas de conservação, utensílios vários, material de escritório, coisas partidas, artigos de decoração, toalhas e outras roupas de casa, papelada, dossiês, acessórios, sapatos, brinquedos, maquilhagem... é um sem fim de coisas acumuladas e que sabemos que não tocámos há meses ou mesmo anos! ficam aqui outras sugestões.

o desapego não implica deitar fora, podemos doar. o que não tem espaço na nossa vida, pode ter espaço e ser necessário na vida de outros!

estou motivada para fazer o desafio no mês de outubro. espero ser consistente e daqui a um mês ter um espaço mais leve e menos poluído de coisas desnecessárias “porque menos –coisas- é mais –qualidade de vida-”. sendo hoje o primeiro dia, escolhi desfazer-me de uma panela de pressão eu a minha mãe me deu há anos e que nunca usei “por medo”!

alguém por aí com coragem para embarcar neste desafio?!

tive uma (boa?!) ideia!

não sei se é uma boa ideia. mas a verdade é que a qualidade de uma ideia só é validada após a sua implementação. por isso vamos, por enquanto e por simpatia, assumir que poderá se uma boa ideia.

estou em casa, com a minha família nuclear (companheiro e rebentos), há 14 dias. não contactámos fisicamente com ninguém, não saímos de casa para nada. falamos, por videochamada, diariamente com a família alargada. vamos ao jardim apanhar uns raios de sol nas "ventas" sempre que possível. 
estou a enlouquecer. tratar de um recém-nascido (e a privação do sono que isso implica) e lidar com uma bebé de dois anos que não está a lidar nada bem com a invasão da nossa família por parte daquele pequeno ser que ocupa muito espaço, está a deixar-me sem paciência.
o big brother da vida real é muito desafiante e esgotaste! a minha energia cai a pique, enquanto a deles se exponencia!

foi neste contexto que tive a ideia. a ideia simples de explicar ao papá o maravilhoso que seria se ele fosse acampar no jardim com a pequena durante a próxima semana. podiam aprender tantas coisas novas! fazer fogueiras, cozinhar no camping gás, tomar banho de mangueira ...tantas possibilidades para o desenvolvimento físico, cognitivo e emocional da pequena. estranhamente o papá não achou boa ideia. referiu uma acentuada descida da temperatura e outras coisas que mal ouvi... coisas insignificantes perante todas as potencialidades da minha proposta.

criatividade

imagem retirada daqui

 

bem, parece que a ideia terá de ficar "suspensa", mas pelo tempo que durará a pandemia ... voltarei ao ataque quando o calor chegar! 💪☺️🙏

 

espada de são jorge

as plantas nunca foram o meu forte. por razões que desconheço nunca sobreviveram muito ao meu lado (quiçá, admita eu, tenha sido alguma falta de cuidado da minha parte). um de tantas relações falhadas!

aconselharam-me agora, que estou numa fase em que procuro uma maior comunhão com a natureza, a espada de são jorge. quem me aconselhou esta planta que até aqui só conhecia como “línguas de sogra”, disse que o fazia por dois motivos:

1.º -  não é uma planta exigente ao nível de cuidados (rega duas vezes por semana), é muito resistente e adapta-se bem ao interior e ao exterior da casa;

2.º - (conhecendo a minha panca pelo equilíbrio das energias) esta planta é conhecida por ser um escudo protetor contra as energias negativas e por purificando o ar (graças à produção noturna de oxigênio).

assim, à primeira vista, diria que é uma planta talhada à minha medida. vamos lá ver se se verifica a sua resistência e se encontrei finalmente a minha compatibilidade no mundo das plantas!

 

espada de são jorge

para além da sua resistência e das suas propriedades esotéricas dá uma bela cor à decoração!

(obviamente que as restantes plantas da imagem são artificiais )

 

espada de são jorge no quarto

pelas suas características purificadoras do ar coloquei uma espada de são jorge bebé no quarto da minha princesa!

como acabar com os soluços

soluços

 os soluços são uma chatice.

vêm quando não devem e só vão quando querem!

nós, feitos tolinhos, lá vamos experimentando tudo:

.dar 10 goles de água seguidos sem respirar

.apanhar um susto

.suster a respiração até não poder mais

.por um pouco de papel higiénico molhado na testa

 

na verdade comigo nada costuma funcionar, por norma, desisto por frustração e, não sei bem como, acabam por desaparecer (mas não sem antes me irritarem... muito!)

 

agora descobri uma técnica eficaz. resolve na hora. exige na mesma uma triste figura. mas garanto que funciona.

a próxima vez que estiveres com soluços: faz o pino!

resolve de imediato!

 

podia ser pior…não, não podia!

há coisas que eu acho que ninguém gosta. até apostava uma amígdala nisso!

uma dessas coisas é o exame ginecológico – que menina bem comportada deve fazer uma vez por ano – e a mal comportada também!

ontem foi dia de a mami fazer a sua consulta anual de planeamento familiar. não apetecia, mas tinha de ser. a mami é muito cuidadosa com a sua saúde.

para agravar a situação, pela primeira vez, na minha longa vida, fiz o exame com um médico. não apetecia, mas tinha de ser.

então a mami despe-se, veste a ridícula batinha, senta-se na marquesa, levanta as pernas e coloca-as naquele frio e desconfortável suporte.

diante de mim, prostrada e indefesa, senta-se o médico (um menino fofo que acaba de concluir a especialidade), puxa de um candeeiro – mais exposta e pequenina fiquei, começa a tocar e a olhar – ou seja, a examinar.

isto poderia ser o pior cenário. mas não. havia mais.

o médico começa a olhar de diferentes ângulos e a fazer caretas - preocupantes. pede à enfermeira para olhar também – quatro olhos na minha vagina…tadinha. O médico pediu que verifica-se, enunciando alguns sinais de sensibilidade. ela anui.

o sr. doutor simpático e fofo, começa a fazer questões: ardor? corrimento? odor?  a minha resposta a todas as questões foi negativa.

ambos os profissionais de saúde ficaram espantados.

tenho uma candidíase (sabe-se lá de onde veio … juro que a mami tem-se portado bem) sem sintoma algum. quiçá, finalmente, criei algo inédito: uma candidíase silenciosa! (parece que as outras gritam, saltitam e vomitam!)

planeamento familiar

imagem retirada daqui

 

depois deste maravilhoso quadro que pintei para inspirar o vosso dia…vão lá trabalhar!

estrias e gravidez

contei neste post a minha rotina para prevenir as estrias durante a gravidez.

 

fiz várias experiências e houveram cremes que satisfizeram as minhas necessidades e outros que não.

 

os cremes para prevenir as estrias são caros – como quase tudo associado à gravidez - e usam-se muito (ou pelo menos deve usar-se numa rotina diária de manhã e à noite). fiz uma gestão das minhas escolhas de acordo com a necessidade da pele. por exemplo, no primeiro trimestre a pele necessita de ser hidratada mas qualquer bom creme satisfaz as suas necessidades; a partir desta altura as exigências vão sendo outras.

 

quando escrevi o post "combate às estrias durante a gravidez" tinha 31 semanas de gestação e já me sentia a explodir. estava super convencida que a pequena iria nascer às 38 semanas (como se eu tivesse algum poder de decisão!). 

 

a minha barriga continuo a ultrapassar os limites do seu tamanho, e as semanas continuaram a somar para além das 38. no referido post o triptofano! aconselhou-me o velastisa da isdin. não tinha sido opção pois o achava caro de mais (27€ em média). decidi comprar - se tinha conseguido manter a minha pele sã até lá... não se justificava a forretice!

 

estrias e gravidez

 

 

 

o creme era efetivamente muito bom. não era nada gordo; era super bem absorbido pela pele e cumpriu o seu papel. a textura do creme, que espalha facilmente, faz com que a embalagem dure muito, não ficando assim tão caro por utilização.

 

a pequena nasceu às 41 semanas e nem uma estria deixou na minha barriga. outro aspeto que notei foi que a pele não ficou tão flácida como eu imaginara.

aprendi a apreciar o vazio

não pensar, não sentir, traz-nos uma paz imensa.

basta pensar na meditação.

acalmar a nossa alma, os nossos anseios, faz com que a nossa energia não disperse, que não fique presa em recantos ocultos ou atolados em fragmentos emocionais.

libertar a mente e o coração é deixar fluir, de forma natural, a nossa energia vita, é entrar em harmonia com o universo.

aqui o reiki pode dar uma ajuda essencial.

há coisas que só aprendemos, compreendemos e aceitamos com a idade. e talvez são essas coisas que nos fazem acreditar que boa parte da vida ainda está para vir.

a meditação e o reiki têm sido estruturantes na consciência de mim, na minha gratidão com a vida e no valorizar o que me faz bem – ignorando o que nada me acrescenta.

aprendi a apreciar o vazio

imagem retirada daqui

aqua village um local para descontrair

o meu.mais.que.tudo. e eu temos estabelecido que vamos sempre festejar o nosso aniversário  num local diferente e fora da nossa rotina.

este ano escolhemos o aqua village para assinalar mais um ano de vida em comum.

o hotel, localizado em oliveira do hospital, tem excelentes infraestruturas (quartos, spa, restaurante, espaços exteriores...) e uma equipa extremamente profissional e simpática.

 

imagens do aqua village espaços e recantos

 

fomos no início do mês de novembro, menos de um mês após os terríveis incêndios de 15 de outubro (que abalou fortemente esta região do centro do país). no percurso até ao hotel vimos paisagens desoladoras, ainda se "cheiravam" os incêndios.

o hotel tinha captado a nossa atenção e, embora tivéssemos algumas dúvidas do que iriamos encontrar, decidimos arriscar. era uma forma de darmos um contributo ao "normal funcionamento" da região.

o hotel estava magnífico, soube depois que tinha sido evacuado no dia 15 de outubro e que depois esteve uma semana encerrado para "limpezas", nessas operação de evacuação e proteção de pessoas e bens, assim como nas "limpezas" todos os funcionários estiveram envolvidos, pois lutavam por algo que era de todos. a honestidade e simplicidade como isto foi explicado foi comovente e inspirador.

um hotel, perfeitamente enquadrado na natureza, a descobrir e aproveitar: excelentes apartamentos completamente equipados, magnifico pequeno almoço, relaxante spa, inspirador espaço exterior e delicioso restaurante (roots).

na região vale a pena dar um saltinho ao piódão, cuja igreja me apaixonou!

piodão

igreja de piódão

 

Mais sobre mim

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

leitura para crianças

facebook

pinterest

diz não à violência doméstica

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

rasurando

logo.jpg