Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

ian

"ian nasceu com paralisia cerebral. como todas as crianças, ele quer ter amigos..."

lindo e enternecedor!

uma excelente ferramenta para trabalhar o respeito e a inclusão junto dos mais novos.

 

 

 

alerta aos mais sensíveis:

não vejam em locais públicos pois há uma forte probabilidade de as lágrimas brotarem.

 

ian

 

 

dia internacional da criança com cancro

Dia Internacional da Criança com Cancro

imagem retirada daqui

 

 

há realidades que todos tememos.

realidades inconcebíveis, injustas e cruéis, sempre injustas.

o cancro é uma dessas realidades…e quando ocorre em crianças a injustiça sentida é mais atroz. 

por ano, são diagnosticados em portugal cerca de 400 novos casos de cancro pediátrico.

a boa notícia é que 80% dos cancros pediátricos são curáveis.

a má notícia é que o cancro é a principal causa de morte, por doença, nas crianças após o primeiro ano de vida.

 

hoje, 15 de fevereiro, assinala-se o dia internacional da criança com cancro.

o dia é assinalado, desde 2002, graças à iniciativa da  childhood cancer international.

 

em portugal, existem duas entidades que, em linhas de atuação diferentes, apoiam as vítimas desta desleal doença e os seus familiares: a acreditar e a fundação rui osório de castro.

 

a acreditar - associação de pais e amigos de crianças com cancro, fundada em 1994, é uma associação que tem como missão "tratar a criança ou o jovem com cancro e não só o cancro na criança ou jovem". apoia de modo global a criança e a sua família durante e após a situação de doença.

o diagnóstico de cancro faz desabar o mundo de qualquer pessoa. isto não ocorre somente do ponto de vista emocional. exige-se uma nova reorganização para prestar o acompanhamento e os cuidados adequados à vítima da doença. os cuidadores informais, no caso das crianças, os pais ou quem desempenha o papel parental, necessitam de apoio à diversos níveis; a acreditar presta esse apoio a nível social e emocional.  a acreditar luta, também, por um conjunto de “direitos”, ou pelo menos para evitar a perca destes, em função da situação de acompanhamento à criança durante a doença.

 

a fundação rui osório de castro, fundada em 2009, tem como objetivo “apoiar e proteger as crianças com cancro e seus familiares”, focando-se em duas grandes áreas: 1) informar/esclarecer as crianças e os pais sobre questões relacionadas com o cancro infantil - criando para este efeito o pipop - portal de informação português de oncologia pediátrica; 2) promover a investigação.

o nosso sapinho é parceiro da fundação, ajudando a disseminar alguns dos conteúdos por ela produzidos - vejam aqui.

 

toda a ajuda é insuficiente, mas se cada um de nós der o seu contributo a insuficiência será menor!

por cá decidimos ajudar as duas entidades adquirido um xi-coração da fundação rui osório de castro (pelo seu uso instrumental como ferramenta que facilita a explicação destas questões à nossa princesa guerreira) e doando parte do nosso irs à acreditar. 

se puderem, como puderem, ajudem também 

 

 

termino com este belo vídeo (não deixem de o ver) que nos faz sorrir entre lágrimas.

 

 

 

 

porque podem haver amores para a vida toda

art-1839006_1920.jpg

imagem retirada daqui

 

amanhã é dia dos namorados.

a internet já destila amor há semanas (eu destilado prefiro a vodka).

as lojas destilam amor desde o início do ano, parece que o amor também se pode comprar.

e porque não quero parecer uma cabra insensível no dia da celebração comercial do amor (mas não sei se o irei conseguir), venho de véspera partilhar um vídeo lindo que, embora seja uma campanha publicitária a umas pastilhas elásticas, é uma maravilhosa projeção do que pode o amor ser!

deixem esses corações amolecerem um pouquinho :)

 

 

já sei! helen oxenbury

hoje começamos a falar de livros. livros para as crianças da nossa vida, sejam elas filhos/filhas, sobrinhos/as, afilhados/as, netos/as… porque um livro é sempre um presente para a vida, não pelo facto de o podermos conservar, mas por tudo o que pode despertar e deixar em nós.

já sei! um pequeno livro, muito aclamado, que já tem 38 aninhos! (foi publicado pela primeira vez em 1985). as obras desta coleção resultam da observação da escritora das crianças, do seu contexto, do que as cativava e/ou surpreendia, das relações que estabeleciam com o mundo. todos os títulos - eu vejo (visão), eu ouço (audição), eu sinto (tato), eu sei (desenvolvimento motor) – mostram esta identificação sensorial da criança com o mundo.

 

helen oxenbury

 

a britânica de 80 anos, helen oxenbury, é, para além de escritor, uma genial ilustradora de livros infantis! as suas obras são vendidas em todo o mundo e já arrecadou vários prémios - há um livro dela, do qual falarei noutro dia, que é para mim simplesmente genial! (estou fã da senhora)

 

voltando ao já sei!

características físicas: livros cartonados, muito resistentes. 14x14. 12 páginas.

texto: simples e adequado à faixa etária. consiste no nomear da competência adquirida (tropeçar, dizer adeus, …)

ilustração: imagens simples em tons apelativos (não excessivos) sobre fundo branco. as ilustrações apresentam, para além do ato conseguido (sentar-me, gatinhar, ..), uma bem definida expressão facial – excelente para a identificação afetiva da criança.

 

 

apreciação da mami:  gostei. é aparentemente simples, mas rico em conteúdo. junta conquistas físicas com expressividade.

 

apreciação da pg:   não ligou muito. aos 13 meses não se identifica, ainda, com muitas das ações apresentadas no livro (ainda não dá pontapés, não corre, não dança (em pé), não bate o pé (graças aos céus), não salta… por isso não sentiu atraída. tentei três vezes ler com ela, deixei-o para exploração livre, e passadas duas páginas ignorava-o. livro para apresentar novamente após a aquisição das competências físicas apresentadas.

 

autora: helen oxenbury

editora: gatafunho

preço: 5€

plano nacional de leitura: livro recomendado para educação pré-escolar - leitura em voz alta.

as bananas da duquesa

eu sei o básico e obvio que este post vai ser, mas como diria o nosso querido diácono remédios "não havia nexexidade"


juro que questionei se a miúda é totó/ingénua e não sabia o que isto ia dar ou se é uma cabra dissimulada em pele de ovelha fofinha que sabia exatamente no que isto ia dar. aqui tem de ser uma ou outra, não (pode?!) há meio termo.
então não é que a graviderrima duquesa de sussex se lembra de "dar força" às prostitutas escrevendo mensagens motivacionais em...bananas!


ok, para os britânicos (e americanos, até canadianos) as bananas podem não ser objetos fálicos... não, esqueçam...as bananas são objetos flicos até na china (não resisti ao estereótipo), é uma linguagem metafórica e visual universal!

 

as bananas de megan

imagem retirada daqui

 

leiam as frases: "tu és especial", "tu és forte", "tu és corajoso"...quantos homens não terão dito isto aos seus pénis?! (reparem que a banana do strong até é mais grossa do que as outras!)

como é que a moça se mete nestas situações?! 

"meghan was inspired by a school in virginia where a teacher wrote positive affirmations to students" vaos lá ver meghan, nem todas as boas ideias são repicaveis em contextos diferentes, uma banana é uma banana para um estudante de uma escola na virginia, uma banana para uma prostituta pode ser uma banana, mas traz implícito um conjunto de alusões sexuais.

 

 

o que acham: inocência ou (para se integrar na cultura inglesa) humor britânico?


o que eu acho mesmo é que a duquesa, na sua vontade de ser cool, meteu o pé na poça. foi imprudente e irresponsável. é verdade que a banana dá mais jeito para escrever, mas na tangerina também se escrevia bem, e um papelinho colado no muffin funcionava igual.


é verdade que as prostitutas alvo do seu funny ou sarcástico gesto não se queixaram da banana mas sim do facto de não ser uma mensagem escrita numa banana que muda alguma coisa, que ela terá, alegadamente, outras formas de ajudar. tudo porque estas senhoras estão habituadas a que uma banana traga sempre uma recompensa económica (lamento, não resisti!)

 

xoxo meghan, gosto muito de ti...mas não havia nexexidade!

fui fazer contas para os lados do rasurando

hoje é domingo e, habituem-se, é dia de participação da mami no rasurando.
sabem como sou moça de simples palavras e descomplicação do mundo - eu sei, por uma questão de género, de influências culturais e muitos estereótipos, por vezes complico o simples...mas amigos e amigas também sou exímia em descomplicar o complexo! (penso eu de que...)
hoje falo um pouco da minha visão do orçamento de estado, fazendo um paralelismo com o meu orçamento familiar. não sei bem se acertei na receita...mas penso que funcionou... vejam e digam ;)

logoRasurando.jpg

 

livros pequeninos para os mais pequeninos

quando, ainda grávida, comecei a comprar livros para a pequena estava mais centrada na beleza das histórias e das ilustrações do que na usabilidade para a bebé – sorte a minha que os livros não têm prazo de validade! a partir dos três anos a minha princesa já tem belas histórias para explorar.

 

livros para bebés

 

com o tempo percebi que aqueles livros que eu achava muito pequenos e/ou básicos, eram os que a minha pg precisava para a sua introdução a este maravilhoso objeto que a ajudará a descobrir o mundo que a rodeia e muitos outros na construção de um imaginário inesgotável. dos primeiros livros que lhe comprei foram dois títulos – “as palavras” e “os animais” - da coleção primeiros livros do bebé da porto editora.

o tamanho e o peso permitiam que ela facilmente os manuseasse autonomamente. o robustez das suas páginas permitiu que ela os explore desajeitadamente – só após muita baba e mordidelas começaram a dar de si. o fundo simples permitia uma melhor compreensão de cada imagem (sem ruido). as palavras simples e do seu quotidiano facilitaram a aquisição de vocabulário, mesmo antes de conseguir expressar verbalmente as palavras. fita de velcro (fácil de retirar e lavar) também foi um bom auxiliar para evitar que o livro ficasse esquecido pelos sítios por onde andávamos.

 

 

agora com 13 meses está mais exigente. a sua vontade de manusear e explorar está mais vincada assim como o desejo de ser surpreendida.

tenho uma lista de livros a adquirir que assustaria o pai natal. encontrei um site que faz boas promoções e que está com 30% de desconto em alguns títulos maravilhosos para a exploração das/dos bebés.

 

animais bebés – o meu primeiro desliza e descobre (yoko books)

animais da selva - o meu primeiro desliza e descobre (yoko books)

embora os dois títulos anteriores sejam da mesma coleção, têm modos de interação distintos.

 

gabriela a gata - clap clap “uma coleção de livros que funciona como se fossem castanholas” - (yoko books)

 

animais de estimação – toca e brilha (jacarandá editora)

 

tenho optado, quando possível, por adquirir livros bilingues (na perspetiva de serem úteis agora na aquisição de vocabulário em português e futuramente na aquisição de vocabulário em inglês).

100 primeiras palavras – bilingue português/inglês – (civilização)

 

encontrei este que não encontro referências em pesquisas online, mas por 2€ vou arriscar!

alto, largo, grande e … - animais gigantes desdobráveis (panini)

 

o site da jb (não se apoquentem os mais distraídos que não falamos de whiskey) tem um motor de pesquisa muito intuitivo. se quiserem outros títulos é só escrever na "lupa" e ver se estão disponíveis e se têm desconto  ( e não é só para os mais pequenos).

Mais sobre mim

leitura para crianças

com um xi-coração podes ajudar!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

diz não à violência doméstica

instagram

facebook

pinterest

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

rasurando

logo.jpg