Follow my blog with Bloglovin

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

delícia de chia e aveia

esta receita é excelente para pequenas refeições (pequeno almoço, lanches ou ceia). é simples de fazer, tem apenas 4 ingredientes e são todos top e essenciais!

 

Ingredientes:

1 iogurte magro de aromas (sabor a escolha)

1 colheres de sopa com farelo de aveia

2 colheres de sopa de leite magro

1 colher de sobremesa com sementes de chia

receita delicia chia e aveia

 

devaneios afetivos

com a idade e a experiência aprendemos a viver um amor mais maduro.

ou,

será que perdemos a “pachorra” de viver um amor intenso?

ou,

quiçá temos a consciência de que a intensidade da paixão dura enquanto dura a novidade, a incerteza da relação, a sedução e a conquista.

e se nos centrarmos na diferença entre o amor e a paixão, que nem sempre andam juntos, poderemos concluir que o amor é uma “seca” e a paixão é pura adrenalina?

ou,

metaforicamente,

que o amor é a viagem segura que traz alegria aos nossos dias e nos dá paz enquanto a paixão é o desporto radical, louco e imprevisível, que desperta as nossas inseguranças mesmo quando nos dizem que é um risco controlado.

no entanto,

mesmo os praticantes de desportos radicais não irão “perdendo a pica” quando dominam a técnica de cada atividade e o risco torna-se mínimo e apenas suscetível a distrações?

o amor tem também um risco mínimo e, por vezes, quando distraídos, surgem paixões que põem em alerta o amor. surgem dualidades, nem sempre compatíveis, que fazem soar o alarme emocional.

a consciência e a aceitação desta realidade é a maturidade. à consciência de que não há fatores externos que nos empurrem para determinado caminho, chama-se responsabilidade. só nós, e apenas nós, somos responsáveis pelas escolhas que fazemos… e há sempre uma escolha!

devaneios afetivos

imagem retirada daqui

há cada uma! #16

bom dia 

depois de um fim de semana de um calor assustador, cá estamos nós com um tempo novamente "estranho" para o meu "querido mês de agosto".

mas há algumas constantes na vida, e neste blog temos a rubrica "há cada uma!" 

houveram bloggers muito generosas na partilha dos seus momentos mais originais. uma delas foi a querida sofia. partilhei aqui a sua primeira história e hoje vamos rir um pouco com a segunda!

 

" Ena pá tanta mosca!"

 

Andava eu na preparatória, no 5º ano, nas aulas de Ciência da Natureza estávamos a dar a reprodução humana, lembram-se desta altura divertida?

 Aposto que sim, mas mais divertida foi para mim e para a minha turma, quando numa dessas aulas a professora colocou um vídeo sobre a dita matéria, para aprofundarmos os nossos conhecimentos!

Estava tudo caladinho, de vez em quando ouvíamos uns risinhos, heis que surge na televisão um óvulo cercado por uma data de espermatozoides, nesse mesmo instante a minha colega Rita diz " Ena pá tanta mosca!", foi gargalhada geral, eu chorei a rir, até a nossa professora que estava sempre séria, não conseguiu deixar de rir, acho que fui a única vez que a vimos rir.

Esta aula foi inesquecível, espero que tenham tido aulas tão divertidas como esta. Ahahaha!"

há cada uma #16

imagem retirada daqui

 

é maravilhosa a ingenuidade das crianças ... ou quiçá a maravilhosa capacidade de fazer brilhantes comparações 

obrigada sofia por mais este momento!

 

para recordar:

há cada uma #15

salada de bacalhau com feijão frade - simples & rápida

gosto muito de comer. mas cozinhar todos os dias é uma seca.

gosto de ser criativa na cozinha em jantares especiais, ao fim de semana… mas no dia a dia o meu objetivo é comer saudável com a lei do menor esforço. como já tinha aqui referido arranjo sempre estratégias que me facilitem a vida.

a receita que hoje partilho, não tem ciência nenhuma e é ideal para o verão - e excelente para a recente onda da marmita, é um bom exemplo das minhas opções em termos alimentares no dia-a-dia:

 

salada de bacalhau com feijão frade

ingredientes

(para duas pessoas ou para dois dias intercalados):

salada de bacalhau com feijão frade

 .1 “malga” de bacalhau cozido e desfiado

.2 ovos cozidos e cortados aos cubos ou "gomos"

.1 frasco de feijão frade

.1 cebola picada

.1 tomate picado

.meia alface pequena cortada em juliana

.salsa, vinagre e azeite a gosto

preparação: juntam-se todos os ingredientes, tempera-se e voalá :d

 

 

sugestões:

.o bacalhau pode ser trocado por duas latas de atum

.o feijão frade pode ser trocado por grão

.no inverno serve-se quente, retira-se o tomate e a alface.

.costumo comprar o bacalhau já desfialho (congelado e demolhado)

 

 

diz-se que: esta salada é uma excelente opção para picnics de verão acompanhada com um refrescante vinho branco

qual é o teu rótulo?

todos temos rótulos, todos rotulamos. é uma dinâmica social difícil de combater.
mas o facto de ser difícil não quer dizer que não se tente 💪 
a cátia do blog the pink elephant shoe despertou a minha atenção para este assunto através de uma publicação no seu instagram, penso que poderíamos aproveitar e refletir um pouco sobre esta questão.
 
que rótulos fomos recebendo ao longo da vida? no meu caso o rótulo que vence é o de arrogante - os outros são bastante próximos: petulante, convencida -, imagino que seja por defender o meu ponto de vista - e quase sempre tenho uma opinião! - sem fundamentalisos; por ser uma mulher segura de sí e das suas escolhas; e por não ter grande paciência para queixumes (vitimizações, críticas, aiaiai...).
o que sinto em relação ao rótulo? obviamente que não gosto, sobretudo porque acho que sou bastante assertiva e educada para com o mundo, mas sei lá eu ... pode ser a minha arrogância que me cega 😜 ninguém gosta de ser julgada e condenada sem ser tida nem achada.
se ponho rótulos aos outros? sim, evito fazê-lo, mas por vezes, distraio-me e acontece. é como se habitasse em mim um monstrinho que quando me apanha distraída entra em ação e, quando me apercebo, lá estou eu a julgar ou rotular alguém que nem ou mal conheço.
é importante falarmos disto. porque mesmo quem é contra o rótulo, muitas vezes acaba por rotular. vamos consciencializar-nos deste ciclo de rotulagem e romper com ele!
 
qual o teu rótulo?!
 

qual é o teu rótulo?

 

 
se tiveres instagram podes partilhar o teu e juntar-te a esta reflexão partilhando-o com o hashtag #esteeomeurotulo 

há cada uma! #15

a convidada de hoje é uma estrela do sapo blogs. uma das bloggers mais comentadas cá do sítio. e porque será? cá para mim é pela simpatia e a facilidade que tem em se por em situações “estranhas”  o seu blog brinda sempre com um sorriso a quem por lá passar. tem estado um pouco ausente, a sua pequenota certamente exige-lhe muito miminho (como a entendo! ), mas é sempre bom passar por lá ver as novidades ou basculhar nos post mais antigos.

chega de conversa e vamos é ler à história que a chic’ana nos traz ao há cada uma!

 

"A minha empresa faz diversos simulacros de incêndio, por portas e travessas, descobrimos sempre as datas dos mesmos e para evitar roubos, pegamos sempre na nossa mala / objetos valiosos e saímos ordeiramente.
Um belo dia, toca o alarme e não tínhamos tido nenhum aviso.


"Será que é mesmo a sério?" As pessoas começam a correr, deixando tudo para trás, eu tive tempo de pegar na mala e sair a correr também. Nisto, cruzo-me com uma colega a correr em sentido contrário e a gritar que se tinha esquecido do mais importante.
"Ok, mas rápido, encontramo-nos no átrio da entrada!"
Eu espero, espero e passados uns minutos aparece ela com um saco enorme..
"Bem, deves ter atirado tudo aí para dentro.."
"Tudo não, o mais importante!"
E qual não é o meu espanto quando percebo que ela deixou a mala, o casaco, os documentos na secretária e decidiu salvar a sandes de queijo!
Trouxe um saco de supermercado, enorme, com uma sandes no interior...

Prioridades =) "

há cada uma #15

imagem retirada daqui

 

muito honestamente, entre o casaco e a bela da sandocas...ai que eu também escolhia a sandoca. sou mais sociavel com frio do que com fome 

 

para recordar:

há cada uma! #14

Mais sobre mim

o meu "blog de mãe"

instagram

facebook

pinterest

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

segues-me?

Follow

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D