Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

gratidão

há uma menina maravilhosa que entrou recentemente no nosso sapo world, a luella rose, do blog "o jardim secreto" e partilhou um desafio que achei maravilhoso: 30 dias de gratidão.

não há melhor maneira de começar o ano do que perceber e valorizar o que temos. tenho estado assoberbada com imensas coisas e estarei nos próximos tempos, mas este é um compromisso que quero e preciso de assumir.

começo hoje o desafio e sei que será uma viajem enriquecedora de autoconhecimento 

 

#1 - qual o cheiro pelo que te sentes grata hoje?

o cheiro da minha cama feita de lavado; aquele maravilhoso cheiro dos lençóis, das almofadas, convidando merecidamente a me deixar envolver pela sua suavidade e frescura. é um cheiro pacificador. 

adoro dormir e as exigências da vida tem-me roubado cada vez mais tempo. entrar no quarto e sentir este cheiro é verdadeiramente relaxante. uma verdadeira fonte de prazer!

 

bench-1245994_640.jpg

 

convido a que me acompanhem nesta aventura partilhando aqui comigo a/ao que está grat@ 

 

 

em jeito de reflexão

quase no final do mês de janeiro…ando à batatada com as minhas resoluções para este ano. ainda não sei com o que me (com)prometer... que fazer quando não se sabe o que fazer, o que se deseja, o que se pretende :/

não é por ter tudo. não é por estar infeliz. é por estar perdida. 

não é drama. não é marasmo. é inquietação.

há sempre lugar (com destaque e importância) para o amor, saúde, felicidade, nossa e dos nossos, paz no mundo e o bem estar da humanidade. mas se refinar a pesquisa no que se refere ao meu intimo fico sem conseguir saber o que desejo para mim, para a minha vida.

anseio por mudança, mas em que direção?! o desejo implica sempre a ação; não há o mágico da lâmpada para nos conceder a concretização dos três desejos. somos nós que os definimos para depois os concretizar. desejar implica uma grande responsabilidade de nós para nós, neste caso de mim para mim.

definir determinado caminho, determinadas escolhas, implica que algo ficará para trás ou não será explorado... implica assumir que por mais que seja o nosso desejo infinito de viver, fazer, experimentar, a nossa vida é finita, e fazer escolhas impõem-se. não pelos outros, por mim.

como conversava no outro dia, mais do que saber o que queremos temos de ter certeza do que não queremos. mas estranhamente essa consciência nem sempre é fácil quando se tem uma vida razoavelmente boa mas asfixiada pela vontade de mudar.

vou ali e já venho…ver se respiro um pouquinho!

hygge

no final de 2016 bombaram títulos de notícias no facebook com a palavra hygge que, segundo lemos na visão, não tem tradução mas aproxima-se de um "aconchego com consciência e entre amigos". esta definição deu-me um grande nó! ora vejamos:

"aconchego com consciência" o que raio é um aconchego com consciência?! ou que raio é o contrário! um conchego é um aconchego. ou não será? pode-se racionalizar o aconchego? podemos abeirar-nos de um amigo e dizer-lhe como nos aconchegar? ou seja: "ó francelina se faz favor aconchega-me aqui com a tua mão direita ligeiramente aquecida, pousada no meu ombro esquerdo e a mão esquerda firme e segura a envolver-me a cintura, permitindo-me inclinar a cabeça 90º e encostá-la com a ligeireza adequada ao teu peito"

no mesmo artigo da visão podemos ler "mas o que é isso de hygge? os exemplos são simples – por exemplo, beber um chá quente à frente de uma lareira. mas pode ser uma reunião de famílias e amigos, um jantar à luz das velas ou tempo para ler um bom livro" - desculpem lá... mas porque acha este povo que descobriu a pólvora?! (não é esse um mérito dos chineses?!) “não é algo que se possa comprar, é preciso investir tempo”...sim?! exato eis a minha teoria...não consigo ser mais feliz pois não tenho mais tempo...talvez também devesse escrever um livro sobre hygge! in tuga way o título seria simplesmente “aproveita as coisas boas da vida” – acham que alguém comprava?!

lê-se ainda no mesmo artigo: "(...) é algo para ser sentido. (...) comecemos pelo paladar: o sabor a hygge é quase sempre familiar, doce e reconfortante. se quiser preparar uma chávena de chá mais hygge, basta juntar mel. se quiser fazer um bolo mais hygge, acrescente cobertura. se quiser um guisado mais hygge, junte vinho." fico cada vez mais confusa... não é isto que todos fazemos? procurar comer o que nos dá prazer?!

"segue-se a audição: saiba que o crepitar dos troncos na lenha a arder é dos sons mais hygge que podemos encontrar" acredito que assim seja para os dinamarqueses pois rapam um frio que se pelam (neste momento para mim é também o som da felicidade!) ... continuo a não encontrar a grande descoberta científica!

"o olfato (...). já cheirou algo que o faça recordar de um tempo e lugar onde se sentiu seguro, que lhe relembre o mundo quando era criança? o aroma hygge é esse (…)” sei que vou ser repetitiva: siiiiiiiiiimmmmm?! qual a novidade?

"vamos então ao tato. (…) no fundo, é [o toque de] qualquer coisa feita pela mão humana: um objeto de madeira, cerâmica, lã, pele, couro..." já nem sei  que acrescentar à profunda reflexão já desenvolvida

"(...) podemos também ver o hygge. (...) depende muito da luz (...) no verão, é hygge comemorar o solstício à beira-mar; no inverno, ver a neve cair lentamente". certo.

pasma-se a minha alma: “o livro já está traduzido em 25 línguas. criámos o happiness research institute para estudar o tema”

o que isto diz do mundo? quanto perdidas não estão as pessoas para precisarem de um livro que lhes ensinem a valorizar o que já lhes dá prazer?! será a necessidade de um nome “pomposo” para a coisa…ou será mesmo que as pessoas deixaram de ser pessoas  e não sabem mesmo/ não fazem mesmo estas coisas?!

descobri ao ler este artigo que sou uma pessoa com imensos momentos de felicidade…olhem cá um dos meus preferidos citados na entrevista ao autor do livro: “passar uma tarde preguiçosa a aproveitar o bom tempo é hygge mas só se o fizermos sem culpa”

mas para não ser só mazinha há uma frase no artigo que vale a pena ficar registada, não apenas no post, em nós:

penso que é possível ser-se mais feliz se apostarmos em boas experiências no dia a dia e isso é muito hygge! em vez de apostar tudo numa conquista de uma vida, muito mais difícil de alcançar.” e que podemos nunca lá chegar … não hipotequemos a nossa felicidade!

 

nota: isto não é uma crítica aos srs dinamarqueses...mas estou estupefacta perante a simplicidade e o óbvio de tamanha descoberta. mais, como a conseguem rentabilizar.

aperitivo

andava eu por aqui a organizar uma viagem viagem e encontrei um miminho de quando fui a milão e achei imperdoável não o partilhar/aconselhar a quem lá vá.

há uma tradição muito fixe em milão, o chamado aperitivo.

o aperitivo é um lanche tardio (por norma entre as 18h - 20h), tipo um happy hour versão plus, que os bares disponibilizam gratuitamente (tipo buffet), tendo o consumidor de pagar apenas as bebidas (chega pedir uma bebida para ter acesso ao aperitivo). para nós funcionou perfeitamente como jantar (não ficamos foi apenas por uma bebida). 

se fores a milão faz pelo menos um, ao ser uma tradição local, há muito convívio e boa disposição 

anel vaginal

rapazes, podem ler sem receio ... pode ser útil para alguém que conheçam

 

ao ler um post da maria mocha lembrei-me de partilhar algo que pode ser banal para alguns e novidade para outros.

sempre tive problemas hormonais, nada de grave, mas algo constante.

o início da toma da pílula fez brotar nos meus seios uma sementeira (assim me disse uma vez uma técnica de saúde). tenho fibroadenomas para dar e vender ... penso que vou nos 19 uns maiores, outros menores, todos controlados.

passei para aquelas pílulas de baixa dosagem, que exigem uma maior precisão na toma.

um ser criativo (termo fofo para alguém que passa a vida com a cabeça na lua) e com horários alucinantes (quer por trabalho quer por gostar de uma vida boémia) tem muitas dificuldades em manter rotinas e horários... por tanto a toma da pílula foi sempre um stress para mim.

numa noite, estranhamente numa reunião da maleta roja, vi a luz! não foi a promotora da marca mas sim uma amiga que lá estava da área da saúde que, após as minhas queixas, me fala do anel vaginal. fiquei maravilhada. fui falar com a minha enfermeira no centro de saúde, como não tenho contraindicações para o estrogénio, e a minha vida mudou! 

o anel vaginal tem a mesma eficácia da pílula, é um dispositivo hormonal de dosagem controlada, introduzido/retirado mensalmente no mesmo ciclo de 21 dias + 6 dias de pausa (é colocado e retirado ao mesmo dia da semana, ou seja, se pões a um domingo, retiras, após 3 semanas, também ao domingo). não há horários ou esquecimentos (a não ser que sejas o limite dos limites e te esqueças de por e tirar!); acresce a maravilha de ao não ser ingerido não é afetado por eventuais vómitos ou diarreias.

o que me metia alguma confusão no início era como colocar e sobretudo como retirar o anel. para colocar é super simples…é tipo colocar um tampão. para retirar é só introduzir o dedo e fazer tipo gancho, retirando o anel (cuidado com as unhas que podem magoar no interior).

fica aqui o exemplo ilustrativo de como é colocado:

anel vaginal

 imagem retirada daqui

 

e a saga continua ... dieta dukan fase cruzeiro

dieta dukan cruzeiro

 

após concluir com sucesso e distinção a fase de ataque da dieta dukan começo hoje a fase cruzeiro.

traduzindo por miúdos: após 3 dias de proteína pura (três dias pois era isso o estabelecido para os kilos que pretendia perder), começo agora a segunda fase da dieta na qual é permitida a introdução de legumes e vegetais (e o belo do tomate). 

mas não se pense que se acabaram com as privações da fase 1. na fase dois, cruzeiro, temos de intercalar os dias de proteína pura (pp), com dias de proteínas e legumes (pl).

quanto tempo dura esta fase? termina quando atingirmos o peso inicialmente almejado.

nos dias de pl podemos acompanhar as proteínas com legumes na quantidade que desejarmos.

alimentos permitidos: alcachofra, beringela, espargos, brócolos, repolho, aipo, cogumelos, couve, couve flor, couves de bruxelas, palmito, pepino, abobrinha, espinafre, erva-doce, chuchu, vagem, quiabo, nabo, alface, chicória, jiló, rebentos de soja, endívia, agrião, cebola, alho porro, pimentão, abóbora, rabanete, tomate, cenoura, rúcula e beterraba.

estão excluídos todos os legume feculentos: batata, milho, ervilhas, lentilhas, feijão, quinoa.

mantem-se as duas colheres de sopa de farelo de aveia, aumenta para 30m a caminhada diária e os agachamentos (15) e abdominais (30) devem aumentar gradualmente numa proporção de +1 por dia.

 

já que voltaram as saladas deixo aqui a receita dukan do molho vinagrete:

uma colher de sopa de mostarda meaux (aquela tipo dijon mas que apresenta ainda grãos de mostarda) + 5 colheres de sopa de vinagre balsâmico + 2 colheres de sopa de água + 1 colher de café de azeite

junta, agita e usufrui

 

.

66 kg

.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Mensagens

leitura para crianças

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

diz não à violência doméstica

instagram

facebook

pinterest

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

rasurando

logo.jpg