Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

viver | amar | sentir | pensar | lutar | conquistar | desafiar | refletir | descobrir | experimentar | partilhar | aprender | acreditar | sonhar * ser mãe sem me perder de mim *

a regra dos quatro presentes

estou numa luta para mudar os meus comportamentos, numa perspetiva de minimalismo e de combate ao consumismo (um dos meus pecados capitais - versão séc. xxi).

não sou ambientalista (acreditando que o “ista” pode ser sinónimo de conhecedora de), mas acredito que tod@s nós temos de repensar comportamentos e melhor gerir as nossas opções. a economia circular e a reutilização a meu ver não são chavões da moda, mas sim uma tendência para reduzir o nosso impacto negativo no mundo que nos acolhe.

o natal é por si um apelo ao consumismo. a vontade de agradar a quem amamos e o bombardeamento de coisas que há por todo lado faz-nos desejar tudo! e, como diria o outro (que nunca sabemos quem é o outro), a carne é fraca.

presentes-natal.jpg

no que toca às crianças, sobretudo às nossas, pequenos seres merecedores do mundo, parece que tudo lhes faz falta e que nada é demais para os fazer felizes. mas, em boa verdade, elas têm imensas dificuldades em lidar com muitos estímulos em simultâneo, e o receberem muitos presentes faz com que não valorizem verdadeiramente (quase) nenhum; para além de quê, na maioria das vezes, o que as faz dar gargalhadas e serem felizes não são coisas!

num momento de morte aos neurónios, quando passava pelo feed do facebook, encontrei um artigo, num site espanhol que acompanho, sobre a regra dos quatro presentes de natal para crianças, mas que acredito que se aplique também para o aniversário ou outras datas em que sejam merecedoras de afagos materiais.

as regras são simples e, como quase sempre, bastante óbvias. o objetivo é procurar o equilíbrio, permitir que a criança valorize o que recebe e mantenha acesso o desejo.

fiz uma breve pesquisa junto do dr. google e não consegui descobrir a sábia mente que criou estas regras, pelo que não podendo citar uma fonte, cito a sra. “é tão óbvio que me apetece esbofetear-me por não ter pensado nisto”.

as quatro regras são então:

.1. uma peça para usarem (roupa, calçado ou acessórios)

.2. um livro

.3. algo que ela precise (para a escola, para o desporto que pratica ou o seu passatempo preferido …)

.4. algo que deseje (por norma bem espelhado na carta que escreve ao pai natal – um sinal da mudança dos tempos é quando uma carta ao pai natal tem uma lista de presentes e não apenas “aquele” presente tão desejado)

os tais especialistas afirmam também que estes presentes têm de ser selecionados tendo em conta a idade e as características/gostos da criança, devendo favorecer a interação social e com o meio envolvente/natureza, contribuindo para o saudável e harmonioso desenvolvimento físico, cognitivo e emocional – ou seja, coisa pouca!

este natal já não vou a tempo de cumprir com a regra dos quatro presentes – compro tudo com muita antecedência para ter a certeza que está tudo perfeito no dia (montado e verificada a usabilidade) e também para fugir ao stress das prendas de última hora-, mas intuitivamente safei-me nas características que as prendas devem ter (ufa).

assim, a minha pequena de dois anos vai receber: um triciclo que promove o desenvolvimento motor e a coordenação, a resistência a frustração e a persistência, bem como, favorece as atividades ao ar livre! (um ponto para a mami!); uma cozinha que promove o desenvolvimento da imaginação e a interação social, ambos através do “jogo do faz de conta” (e vão dois pontos para a mami); o livro “da cabeça até aos pés” de eric carle que para além de promover o gosto pela leitura convida o pequeno “leitor” a imitar os movimentos das várias personagens  e a relação afetiva com o seu/sua companheiro/a de leitura (desenvolvimento cognitivo + motor + emocional, boa mami! mais um ponto); dois jogos: um de encaixe e outro de equilíbrio, ambos visando o desenvolvimento de competências cognitivas e de motricidade fina (aqui a mami por ultrapassar o n.º de presentes aconselhado não ganha pontos!)

confesso que nesta idade não considero os objetos de vestuário, calçado e afins como presentes, vejo-o como um bem essencial – embora assuma que ultrapasso em larga medida o que é essencial, mas juro que estou a trabalhar no sentido de melhorar esta característica!

bom natal e boas compras – controladas e certeiras!

 

nota: o site que inspirou este artigo

creme de abóbora e lentilhas

este creme é ideal para os dias mais frios e para fortalecer o nosso sistema imunitário.

o seu tom laranja enquadra-se na perfeição nas belas cores de outono.

creme de abóbora e lentilhas

 

creme de abóbora e lentilhas

serve 8/10 pessoas

.ingredientes.

400g abobóra manteiga

400g abobóra menina

3 chávenas de chá de lentilhas laranja (demolhadas e escorridas)

1 cebola grande

8 dentes de alho

gengibre (o equivalente a um dedo mindinho)

1 lt de água

raspa de 1/2 laranja

sal, pimenta 5 vagas e azeite a gosto

 

preparação

coza, num litro de água, a abóbora e a cebola cortadas aos cubos, os alhos e o gengibre descascados e  finamente cortados e as lentilhas. após levantar fervura reduza o lume e deixe cozer cerca de 30m.

verifique se as lentilhas estão cozidas e, em caso afirmativo, adicione a raspa de laranja e sal a gosto. deixe ferver cerca de 2m. verifique e retifique os temperos. desligue o lume, triture os ingredientes, e acrescente azeite a gosto.

ao servir pode acrescentar pimenta 5 vagas moída na hora (pode ser colocado também na mesma altura de que o sal, mas como a princesa come da mesma sopa que nós, o sal é sempre reduzido e as especiarias são adicionadas no prato ao gosto de cada um).

 

nota: esta receita foi inspirada na receita original que pode aqui encontrar.

boa viagem bebé!

há muito que nas vos falo das nossas leituras 

o livro, por cá, continua a ser o brinquedo favorito. uns encantam-na mais do que outros, mas está sempre disponível para os explorar e interagir com eles.

no outro dia deliciei-me quando a "apanhei" a "ler" a história de um dos seus livros preferidos. é maravilhoso o efeito que os livros têm no desenvolvimento da criança.

boa viagem bebé é um livro que a fascinou desde o início (tinha ela 16 meses) - foi aconselhado pela debora, e é esta uma das magias dos blogs e das redes sociais: partilhar o que de bom vamos encontrando.

ainda hoje - com 24 meses - o "lê" com fascínio. gradualmente foi reparando em vários pormenores (graças à riqueza das ilustrações - que se apresentam de uma simplicidade complexa e estruturada) e interagindo com a história (a forma como o texto está escrito apela a esse envolvimento).

na contracapa encontramos um "apanhado" de vários objetos que são apresentados na história, possibilitando a diversificação e exploração do vocabulário da criança.

 

boa viagem bebé!

 

 

apreciação mami:  as ilustrações são geniais. o livro está cheio de pormenores que vai captando a atenção da criança. o texto é simples mas intencional, descreve as rotinas do bebé na hora de ir para a cama. a forma como está escrito leva a criança a interagir com o texto. o livro é de capa dura e as páginas são resistentes.

apreciação pg:  ela adora-o! interage com a história e identifica os vários elementos que se destacam, sobretudo aqueles que são apresentados na contracapa - excelente para o desenvolvimento do vocabulário.

 

 

 

autora: beatrice alemagna 

editora: orfeu negro

dimensões: 15,9 cm x 20,6 cm

preço: 10€ (preço médio)

macdonaldes

uma fofura!

independentemente de tudo o que se possa dizer sobre a marca, temos de admitir que tem excelentes campanhas!

 

 

 

e esta, em particular, ressalta o que melhor temos por cá: a solidariedade nas pequenas aldeias e a ternura familiar!

ah! e é de não esquecer a beleza do talasnal 

calendário do advento

não é novidade que adoro o natal e que gosto de saborear cada dia até à sua chegada.

defendo que os pequenos grandes gestos de amor (por nós, pelos nossos e pelos outros) devem ser realizados ao longo de todo o ano, mas acredito também que não devemos desaproveitar uma época na qual, quando conseguimos não nos deixar pressionar pelo consumismo e pelo medo de desiludir com a escolha dos presentes, estamos mais solidários e afetivamente disponíveis.

o calendário do advento é uma boa forma de elencar várias possibilidades de sermos mais solidários e de valorizar quem amamos, sem nos esquecermos de base que estrutura toda essa ação: nós mesmos!

este ano criei um novo calendário do advento - depois da mágica experiência de 2016.

partilho-o com vocês na esperança que vos inspire e melhore alguns dos vossos dias nesta caminhada até ao natal 

acredito que deste conjunto de sugestões poderão escolher algumas que vos sejam mais prazenteiras para reavivar o espirito de natal; ou podem, também,  entrar na loucura de seguirem e cumprirem com todas as propostas do calendário 

seja como for, divirtam-se e sejam felizes!

 

CADv 1.png

CADv 2.png

CADv 3.png

 

 

 

 

 

 

 

Won't you come and won't you stay?

lindo 

 

 

Daddy, are you out there?
Daddy, won't you come and play?
Daddy, do you not care?
Is there nothing that you want to say?

I know
You're hurting too
But I need you, I do
Daddy, if you're out there
Daddy, all I want to say

You're so far away
Oh, you're so far away
That's okay
That's okay
I'm okay

Daddy, are you out there?
Daddy, why'd you run away?
Daddy, are you okay?
Look dad, we got the same hair
And daddy, it's my birthday
And all I want to say

Is you're so far away
Oh, you're so far away
That's okay
That's okay
That's okay

You're so far away

Won't you come and won't you stay?
Please stay
Oh, please stay
Won't you come and won't you stay?
One day
Just one day

missão pijama

no primeiro ano do blog, em 2016, partilhei aqui a minha experiência, enquanto tia, com o dia do pijama.

agora, em 2019, enquanto mãe, a minha visão é um pouco menos entusiástica. 

como podemos ler no site da 'mundos de vida', entidade responsável pela iniciativa, que coincide com a comemoração da convenção internacional dos direitos da criança, "o dia nacional do pijama é um dia educativo e solidário feito por crianças que ajudam outras crianças." e é assim que eu conheci este dia, e com esta base que louvei a iniciativa.

no entanto, este ano, em que a minha pequena participa pela primeira vez na iniciativa, sinto um grande vazio na missão da iniciativa. a pequena não faz a mínima ideia do que se trata, para ela, honestamente, ir de pijama para a escola ou ir com outra roupa é exatamente a mesma coisa - não consegui perceber se abordaram o tema na creche e não sei se ela conseguiu perceber o que eu lhe tentei transmitir. quando esta manhã cheguei à "escola", o pessoal estava todo 'empijamado' e a agir como se de uma festa de disfarces se tratasse. nas redes sociais as partilhas de crianças fofas a irem de pijama para a escola estavam por todo lado - elogiando a fofice dos próprios, mas sem alusão alguma à causa que este 'dia' aborda. como se isto já não bastasse para desvirtuar o dia reparei também que várias marcas aproveitaram o dia para oferecer descontos na compra de pijamas, visando obviamente o aumento dos seus lucros. sinto assim que de uma causa solidária se passou a mais um dia para brincar ao faz de conta e promover o consumo.

isto deixa-me triste!

o objetivo solidário na comemoração deste dia é importante para a sensibilização dos mais novos sobre as diferentes realidades sociais e familiares existentes, mas tem de ser tratado com a seriedade e o respeito que o tema exige.

missão pijama

(imagem retirada daqui)

mão, pé e boca

poderíamos estar a falar de uma canção infantil ou de um jogo, mas infelizmente não.

mão, pé e boca foi o vírus que nos arrombou a casa na última semana; um tal de coxsackie que de forma impiedosa encheu a pequena de dores e desconforto.

das várias viroses que a miúda apanhou, nenhuma teve a intensidade do síndrome mão, pé e boca. começou discreto com pequenas borbulhas debaixo do lábio inferior, que nós, pais inexperientes, associamos ao frio e à baba. no entanto, achamos estranho que a baba fica-se mais intensa e a miúda, que adora comer, estivesse a recusar determinados alimentos. reparamos, de seguida em algo que se assemelhava a aftas na boca (língua e céu da boca). 

foi só quando a princesa começou a queixar do pé, a negar-se a pôr o pé no chão e a recusar usar meias que percebemos que se tratava de algo mais complexo. lembrei-me de ter ouvido falar do mão, pé e boca e ao fazer a pesquisa e ao verificar que tinha também pequenos e discretos pontinhos nas mãos que (informalmente) surgiu o diagnóstico, posteriormente confirmado pelo pediatra.

ao questionar o pediatra sobre o tratamento a fazer, foi desolador o que ouvimos: não há tratamento. é uma questão de tempo até passar. é altamente contagioso e não cria imunidade. ou seja, o único a fazer era tentar deixar a pequena o mais confortável possível - descalça, dando-lhe muitos líquidos, comida de texturas suaves e sem acidez e paracetamol para aliviar as dores; não poderia ir à escola e, o pior de tudo, poderia poder apanhar novamente o vírus.

rapariga de poucas palavras adicionou mais duas ao seu parco vocabulário: ai e dói.

e a nós também nos doía ver o seu desespero e incompreensão.

mão pé e boca

(já em fase de recuperação)

 

se quiserem saber um pouco mais sobre o mão, pé e boca vejam no site do sns.

portugal: beleza rara

quem nos visita não fica indiferente à nossa diversidade e beleza natural, à nossa traça histórica que distingue a nossa identidade nacional e sublinha as diferenças locais. 

a gastronomia e a enologia é outro aspeto que apaixona, de norte a sul, insular e peninsular, as possibilidades de texturas e sabores apresentados na nossa gastronomia não deixam ninguém indiferente; bem como, os aromas, as cores e o paladar das diversas castas e suas combinações.

adoro viajar, conhecer outros lugares e culturas, mas é sempre bom voltar e constatar a riqueza do que é nosso  e em dia de jogo da bola - que vamos certamente ganhar  fiz uma viagem pelas minhas memórias fotográficas e partilho alguns dos locais que me apaixonaram no nosso belo país.

 

a beleza do alentejo interior e do alqueva

 

alentejo

 

DSC_0194.JPG

 

baixo 0.JPG

 

baixo 5baixo 0.JPG

 

 

 

a beleza e a força da ilha da madeira

 

baixo 1.JPG

 

baixo 2.JPG

 

baixo 3.JPG

 

baixo 4.JPG

 

 

as cores da mágica ilha de são miguel (açores)

 

ac red1.JPG

 

redim.JPG

 

 

ãçores red 3.JPG

 

 

os belos tons do norte do país (bragança)

 

bragança

 

 

Mais sobre mim

leitura para crianças

com um xi-coração podes ajudar!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

rasurando

logo.jpg

diz não à violência doméstica

instagram

facebook

pinterest

segues-me?

Mensagens

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D