Follow my blog with Bloglovin

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

ilha da madeira | preparando uma viagem inesquecível!

esta semana foi muito preenchida. há semanas assim, nas quais parece que tudo o que poderia acontecer efetivamente acontece!

vamos para coisas bem mais interessantes: a minha viagem à ilha da madeira!

Madeira_colagem_das_fotos_12.jpg

 ilha da madeira - imagem retirada daqui

ando por aqui a tentar organizar-me, vou fazer uma viagem de 3 dias e meio com os meus pais (razão pela qual nas minhas escolhas eliminei a levadas e os picos cujo acesso só poderia ser feito após longa caminhada – se estiver errada, alertem).

após longa investigação e as boas dicas do sorriso incógnito, eis as minhas escolhas:

1. piscinas naturais de porto moniz (1,50€) - sou um peixinho, adoro água. esta oportunidade de mergulhar em pleno oceano atlântico é irresistível!

2. elevador panorâmico fajã dos padre (7,50€), a imagem é assustadora mas a vista deve ser magnifica… venha a adrenalina!

3. miradouro do cabo girão – um dos cabos mais altos do mundo (580m de altura). tem miradouro de vidro que nos proporciona uma vertiginosa visão sobre precipício (pretendo assomar-me a todos os outros miradouros que for encontrando no meu passeio pela ilha).

4. teleférico do monte (11€ ida, 16€ ida e volta)– é engraçado que não suporto alturas, mas creio que as visões que estes passeios nos proporcionam são únicas!

5. vila de santana, localidade onde podemos encontrar as casas típicas da ilha da madeira rodeadas de belos jardins.

6. praias na madeira: machico, praia do faial (com belas formações rochosas junto ao mar), calheta e praia formosa.

7. curral das freiras – altas montanhas rodeiam esta pequena vila.

8. jardim tropical do monte palace (12,50€) – jardim oriental que é descrito por uma beleza arrebatadora.

9. centro histórico do funchal, privilegiando a fortaleza de santiago, a sé, o mercado dos lavradores, e  rua de santa maria (onde reina a street art – uma eterna paixão).

10. blandy's wine lodge – uma oportunidade para conhecer melhor a história do famoso vinho da madeira… e de o degustar! faremos a visita premium (5,90€, 45m) “explica desde a confeção de barris na tanoaria, o processo da transformação da uva ao vinho madeira, os balseiros de cetim brasileiro e avisita ao museu com uma prova”

 

e ainda:

fazer a viagem de barco para ver os golfinhos – encontrei os melhores preços em http://www.madeira-boat-trips.com/pt

comer espetada em pau de louro

beber poncha

 andar em carros de cestos  (2 passageiros: 30€)

 

ao fazer estas pesquisas verifiquei que a ilha madeira é uma viagem mais cara do que tinha previstos. há preços, a meu ver, exagerados.

se conhecerem outros locais imperdíveis, restaurantes que recomendem ou dicas importantes… por favor ajudem esta moça a organizar-se para aproveitar ao máximo a sua (primeira) viagem à ilha da madeira.

dona tété - são tomé e príncipe

dona-tete.jpg

estou apaixonada pelos lugares de são tomé, pela sua gente e pela sua gastronomia.

 a oferta de restaurantes em são tomé não é muito alargada (nesta altura do ano muitos fecham para manutenção). 

na procura de restaurantes, como já é habitual, recorremos ao tripadvisor. o restaurante dona tété surgia em primeiro lugar. lemos as críticas e consideramos uma excelente aposta.

pedimos algumas indicações do hotel, colocamos a morada no gps e ... perdemo-nos! o meu mais que tudo é um aventureiro pelo que alugámos carro e andámos à descoberta...mas há recantos, como este, que, sem ajuda, dificilmente lá se chega!

por isso, e antes que me esqueça, ficam aqui as indicações para chegar à dona tété: estando na cidade de são tomé deverá dirigir-se ao hotel pestana, continuar por essa estrada, passando o casino, até avistar uma placa a dizer s. gabriel; logo a seguir a essa placa encontrará um corte à direita; avistará se imediato um barracão azul do lado direito e deverá cortar à direita logo antes do barracão... e aqui começa a aventura! se não tiver um carro todo terreno deverá ponderar a viagem; o acesso é em terra batida com muitos socalcos. nesta estrada o primeiro que vai pensar é que está enganado, que não é possível... mas é! continue e corte novamente à direita, no final desse caminho vire à esquerda (seguindo um caminho com um riacho que ficará do seu lado direito); assim que avistar uma mini ponte, sobre o riacho, de acesso a uma casa terá chegado à dona tété. chegar lá é uam verdadeira aventura!

ao chegar, entramos na casa da "dona tété" e a mesa estava posta no quintal.

um belo espaço com uma zona de jardim e outra coberta, onde a cozinha estava visível para todos.

o local é simples (como quase todos em são tomé) mas muito bem cuidado. a dona tété está presente a atender os seus clientes.

a ementa é igualmente simples, sem carta, come-se o prato do dia, por norma peixe grelhado (poderá ter duas ou três opções de peixe). 

comemos, para entrada, chocos grelhados; como prato principal barriga de barracuda grelhada, acompanhada de fruta pão (regada com o molho da casa), outros vegetais cozidos e banana frita; bebemos a bela da rosema (cerveja nacional de meio litro sem rótulo); para sobremesa deleitamo-nos com a mousse de  sape sape (fruto).

todos os alimentos eram extremamente frescos e bem confecionados. a rosema também à temperatura certa. um ambiente acolhedor, com bom espaço entre mesas e a simpatia da dona tété e seus colaboradores. O valor é normal relativamente aos restaurantes mais turísticos (média de 26€ por casal). um restaurante imperdível numa viagem a são tomé.

 

grande falha desta blogger em desenvolvimento...ao estar a absorver todos os imputs do local e em modo de namoro...só me lembro das fotos quando o prato já está vazio  deixo aqui o facebook do restaurante dona tété para tentar colmatar esta minha falha.

 

ícones incontornáveis

torre eiffel

 

fui passar o fim de semana à cidade das luzes. conheci paris há cerca de 7 anos.  amei a cidade.

decidi voltar e apresentá-la ao simplex.

não desiludiu nem um pouquinho.

por mais que se tente fugir dos clichés ... a verdade é que a torre eiffel é de uma beleza tão própria que é inevitável ficar encantad@ na sua presença!

se formos para o inferno nós lá nos orientamos!

berlim

viajar sempre foi uma paixão. a europa com tantos locais a conhecer, aqui tão perto e graças às low cost tão acessíveis.

viajar anos atrás era um projeto a longo prazo, financeiramente enquadrado... agora saímos passar o fim de semana a madrid, paris ou londres com o mesmo custo de ir a lisboa ou ao porto e isto mudou tudo!
quando comecei a trabalhar eu e um grupo mais ou menos fixo de gajas fixes íamos onde a ryanair queria que nos fossemos. volta e meia nos lembrávamos e íamos ao site ver o que andava barato e para quando e … la íamos nós! 
lembro-me da viagem a paris  por 18€ (ida e volta com taxas incluídas!) ou a londres por 30€ ... em 4 anos fomos a todas as capitais europeia que a companhia aérea proporcionava: paris, londres, dublim, madrid, amsterdão, edimburgo... depois outras cidades “menos” importantes como barcelona, valência, milão, marselha. com outra low cost pude ainda conhecer menorca, maiorca, tenerife, gran canária, s. miguel, budapeste, viena de áustria... 
e novos destinos hajam que novas viagens se fariam!

o meu entusiasmo esmoreceu um pouco. os vários atentados que assolaram a europa criaram em mim o receio de me aventurar na descoberta de novos lugares. sempre perspetivei as viagens como fontes de prazer onde o medo não se enquadra.
este ano não viajei para nenhuma cidade europeia, até agora.
uma viagem agendada para berlim rompeu com esta fase de privação. nunca antes senti o receio de viajar que agora sinto. para além de berlim ser berlim e só por isso um alvo como qualquer outra grande capital europeia, a minha viagem decorre enquadrada numa prova internacional que enche a cidade com pessoas dos 4 cantos do mundo... a maratona de berlim. 
sei que pode ser um receio estupido por razões egoístas, porém incomoda-me não poder passear pela minha europa sem este receio pairar na minha mente.

nos dias que precederam a prova olhava com desconfiança para qualquer pessoa “suspeita” na minha mente estereotipada. no dia da prova imaginei imensos cenários possíveis. sabemos que do nada alguém com uma arma, munido de explosivos, ou no comando de um qualquer veículo pode matar e ferir pessoas por puro capricho em nome de algo que nem sei se ele entende bem (eu certamente não entendo).
qualquer ato de missão, não refletida na sua essência é pura estupidez.

as pessoas não poderem viajar sem o receio destes lunáticos é pura estupidez. 
sempre defendi o "vive e deixa viver", por favor senhores chateados com o capitalismo ocidental vivam com isso e deixem- nos viver... se formos para o inferno nós lá nos orientamos!

 

diz-se que: ao escrever isto dou uma prova viva de medos infundados. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

instagram

facebook

pinterest

blogs portugal

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D