Follow my blog with Bloglovin

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

ando ko

sabia que ter filhos rouba a possibilidade de dormir descansada.

o que ninguém me disse é que isso podia começar bem antes deles nascerem!

ainda tenho dois longos meses pela frente e já não consigo dormir em condições 

ando uma autêntica zombie!

gif retirado daqui

 

o que tem apaziguado o meu mau humor, falta de humor ou estado de transe, são as pessoas.

tenho estado a realizar várias entrevistas e muitas delas à população sénior... da rija! pessoas com 70, 75, 80 anos com ótimo aspeto físico e mobilidade,  bem como, detentoras das suas competências cognitivas.

estas senhoras e senhores fazem-me acreditar que ainda tenho, pelo menos, igual número de anos que já vivi, para viver!

o que quer dizer que poderia agora, neste momento, voltar a nascer, recriar-me, reinventar-me, descobrir novas paixões!

talvez seja com a maternidade que comece esta nova vida. e ao contrário da anterior, quero saboreá-la com calma, sorrir aos seus encantos, viver os seus desafios ao limite e deixar-me envolver por cada nova experiência.

 

mas gostava também, muito, de dormir!

lazy.jpg

imagem retirada daqui

(uma espécie de) virose na blogosfera

já repararam que ultimamente há uma espécie de virose na blogosfera.

todas as semanas ao ler um post, de um blog que sigo ou de uma recente descoberta, lá aparece uma nova “vítima”.

tenho questionado se é do tempo, do ano ou se é mesmo da blogosfera. seja como for acho que a melhor estratégia é a prevenção. temos de ter cuidado, pois estas coisas pegam-se.

mas como pela boca morre o peixe … lá fui contagiada.

não se preocupem, estou a conseguir sobreviver estoicamente. confesso, até, ter desenvolvido um carinho especial pelo “virusinho” 

e assim, sem grandes demoras, partilho convosco que entrei no clube das grávidas da blogosfera.

eat-567454_1920.jpg

crenças e decisões

ao viver fui aprendendo que na vida não há certezas. o que é hoje, amanhã pode não ser. e o mais sábio é evitar usar as palavras "sempre" e "nunca".

certezas fora, acredito que na vida tudo tem uma razão de ser. não acredito num destino predefinido de sentido único. mas acredito que as nossas escolhas estão limitadas ou condicionadas por um conjunto de fatores (pessoais, sociais, culturais...); que temos uma missão a cumprir ou um desafio a superar.

o problema deste tipo de crenças surge quando somos colocados em situações em que nada parece fazer sentido, em que não encontramos o propósito daquilo acontecer e onde todas as escolhas possíveis comporta em si uma grande dor.

acredito que essas situações fazem parte do caminho que temos a percorrer, mas como fazer a "melhor" escolha?

como saber se escolher a fuga, mesmo que dolorosa agora, mas menos dramática a longo prazo, não implicará deixar a situação em aberto para resolver mais tarde, nesta ou noutra vida?

por ser uma pessoa de muita sorte estes percalços do destino, deixam-me completamente à toa, perdida, temerosa e indecisa.

devemos, nestas situações, minorar a dor a curto ou longo prazo? aceitar ou fugir do destino?

water-880462_1920.jpg

 imagem retirada daqui

 

meditação

comecei a fazer um curso de meditação.

meu objetivo: desenvolver a minha capacidade de concentração e esvaziar a mente.

coisas aparentemente simples mas verdadeiramente difíceis.

o curso é composto por 8 sessões de 1h30m cada. já fiz 4 e … ainda não consigo focar a mente por mais de 1 minuto. assim que dou conta já lá estou com qualquer coisa no pensamento. lá uma coisa não sou: cabeça oca!

pensei que seria mais fácil a aplicação das técnicas, que são bastante simples, mas insuficientes para me manter focada.

uma aula para mim é mais ou menos assim:

.exercícios de respiração: terrível, assim que tomo consciência da minha respiração fico com dificuldades em respirar!

.canto de mantras: até doí a minha falta de musicalidade … já para não falar de que cantar em sânscrito é para mim, como tentar imitar o som de uma ave qualquer de uma savana africana (não percebendo o que digo e nem sabendo ao certo se faço a correta entoação).

- conseguir alinhar a respiração com a entoação dos mantras uma missão impossível! –

mesmo com todas a minhas dificuldades e lutas para tentar “atinar”, cada sessão permite-me efetivamente ter um momento só para mim, em que pela exigência dos exercícios abstraio-me das questões do dia-a-dia, só por isto já é positivo (na última sessão relaxei tanto que a luta interna foi por não adormecer!)

não sei se após a conclusão do curso seguirei ou não uma prática de meditação. esta é exigente quanto a regularidade e rotinas (todos os dias, à mesma hora – preferencialmente às 6h da manhã e, sempre que possível, no mesmo local)… e eu tenho algumas dificuldades no que toca a rotinas :/

considero muito valiosa a participação neste curso, pois para além da aprendizagem das técnicas em si, tenho aprendido imenso sobre a filosofia da meditação, em geral, e sobre a filosofia do mestre sri chinmoy, em particular.

meditação

imagem retirada daqui

o equilíbrio através do reiki

experimentar novas coisas sempre me atraiu, assim como descobrir novas sensações e despertar diferentes partes de mim!

há uns anos fiz o nível i de reiki, a sintonização. foi uma experiência muito agradável. inicialmente, após o período de 21 dias de autotratamento, fazia intervenção a colegas e a mim mesma, assim como recebia de colegas, numa partilha energética.

comecei a sentir coisas que não sabia explicar, sobretudo quando fazia a outras pessoas. tentei perceber um pouco mais dessas sensações mas a internet e os livros não eram suficientes. na altura fiz o curso em lisboa e vivia em aveiro, logo também não me sentia à vontade para pedir orientação da mestre.

comecei a afastar-me da prática, por não me sentir capaz de interpretar o que sentia e o que não sentia (das situações que mais me incomodou foi uma pessoa que não emitia, nem absorvia absolutamente nada, nenhuma passagem energética ocorreu durante a sessão, a pessoa parecia um bunker!).

houveram situações em que pelo contexto em que me encontrava apetecia-me fazer meditação e reiki, e fazia, mas a energia parecia não fluir; suponho que a ausência da prática traga destas coisas.

recentemente senti a necessidade de voltar ao reiki. estava desequilibrada energeticamente e precisava de encontrar um “tempo” em que a minha mente parasse. não imaginei que seria fácil recomeçar…mas a verdade é que na segunda sessão já senti a energia, na terceira já a sentia fluir e a partir daí tem sido um crescente de boas sensações, equilíbrio e bem-estar.

o que mais me cativa nesta situação é como o nosso corpo sabe pedir-nos exatamente aquilo de que necessita! já me aconteceu anteriormente na alimentação, sentir uma forte necessidade de comer determinado tipo de alimento (não me refiro a doces ou batatas fritas ;) ). ouvir o nosso corpo é fundamental para encontrarmos o nosso ponto de equilíbrio. não desvalorizemos o que sentimos, tentamos perceber o porque e satisfazer essa necessidade.

hand-534867_960_720.jpg

imagem retirada daqui

 

no dia de hoje

hoje assinala-se o dia internacional de luta contra a homofobia e a transfobia, sabes porquê? 

porque a 17 de maio de 1990 foi retirada a homossexualidade da classificação internacional de doenças da organização mundial de saúde (oms).

a minha admiração, só em 1990? e do nada só me vem à memoria o filme philadelphia com tom hanks.

 

achei este vídeo delicioso e perfeito para assinalar esta data

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

instagram

facebook

pinterest

blogs portugal

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D