Follow my blog with Bloglovin

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

5 | frases sobre moda para mulheres únicas

como mulher tenho um gosto profundo por trapinhos, sapatos, carteiras, acessórios...todo esse universo diverso e feminino.

procuro ter um estilo próprio; gosto de moda, mas não sigo modas. enquadro as novas tendências no meu estilo pessoal – quando calha. a verdade é que tenho noção do meu corpo, da minha idade e da minha personalidade e, embora seja bastante camaleónica, sei o que me fica bem e o que nada tem a ver.

não imito ninguém e acredito que sou inimitável, pero simples facto de ser uma mulher única.

estas são as 4 frases que espelham um pouco a minha visão sobre a moda

 

- 1 -

- as minimalistas -

moda 1

 

- 2 -

- as elegantes -

moda 2

 

- 3 -

- as seguras -

moda 3

 

- 4 -

- as místicas -

moda 4

 

- 5 -

- as genuínas -

moda 5

 

 

 

30 dias de gratidão #23 porque tradição estás grata?

o almoço de domingo em casa dos papás 

 

 

 

 

por vezes é bom estar errado

amizade

 

tenho andado por aqui com dilemas internos, que na verdade de dilemas têm pouco, pois nada tenho a fazer.

é mais uma questão de preocupação e agora desabafo.

sabem quando percebemos que há alguém que está a ir pelo caminho errado, não porque sejamos os donos da verdade ou mestres em futurologia, mas porque tudo isso indica? aliás sabemos que se a pessoa alvo da nossa preocupação, não estivesse envolvida, teria exatamente a mesma visão.

então que fazer? pois, nada.

não tem a ver com cobardia. nunca me abstive de dar a minha opinião (os que me rodeiam bem o sabem, coitados). mas uma coisa é alertar para o evidente, outra coisa é insistir e imiscuir.

feita a primeira parte, responsabilidade para com quem amamos, agora só me resta apoiar e acompanhar. esperando que a queda não seja (muito) grande ou aspirar a que, mesmo que tudo diga o contrário, eu esteja errada.

por vezes é bom estar errado.

por outras, temos de respeitar o direito de quem amamos a errar

 

 

 

 

egoísmo e amor, podem coexistir?

como já aqui referi sou da opinião de que não temos que gostar de todas as pessoas, mesmo que estas entendam que querem relacionar-se connosco. é uma questão de liberdade individual.

 

egoismo

 imagem retirada daqui

 

esta afirmação torna-se paradoxal nas relações por afinidade. teremos o direito de negar a relação com uma pessoa que seja significativa para alguém que amamos? independentemente das razões  - reais ou imaginárias - que possam existir.

 já todos questionamos (pelo menos mentalmente)  a escolha de namorad@ dos noss@ss amig@s? do nosso irmão? da nossa filha? - vá não neguem! e, nesses  casos, puxando da nossa maturidade, engolimos as nossas questões e apoiamos. porque este é o limite da nossa liberdade: a liberdade do outro. nestas relações afetivas a escolha não é nossa - nem tem de ser,  a relação é deles. e, caso não se verifique nada que vá contra o bem-estar de quem amamos (violência, traição, parasitismo…), pomos o melhor sorriso e extravasamos simpatia, para não causar tristeza naquela pessoa de quem tanto gostamos. aqui, car@s, temos que relacionar-nos mesmo que não gostemos da pessoa, sobrepondo o nosso amor por alguém à antipatia por outro (mesmo que intragável).

 Por acreditar e praticar isto, quando surge na minha vida uma pessoa infantil e egoísta que não respeita a escolha do outro, fazendo exigências e ameaças, fico azul! como lidar com alguém que não se importa de magoar quem amamos?

 esta é uma situação pessoal que me aflige há já algum tempo, no entanto quero esclarecer que não tenho nenhuma mágoa por um estranho não gostar de mim, honestamente. até é gratificantes não despender o meu tempo e energia a tentar ser simpática. mas incomoda-me por ser uma situação que afeta e entristece a pessoa que amo - um ser equilibrado que tenta gerir a situação, lidando com a pressão e esperando que, como se por magia, ela desaparece-se (a situação, é claro)

 

como pode um adulto magoar quem ama? afastá-lo de si?  

eu sei que é recorrente nas relações amorosas, mas nas filiais que sentido faz?

são relações independentes, vidas independentes.

presenciar este egoísmo faz-me fervilhar a bílis!

 

 

 

30 dias de gratidão - #20 por quem na tua vida estás grata?

[erro ao carregar a sua resposta]

ops...parece que restringir a resposta apenas a uma pessoa é uma questão de resposta imposível!

lição de vida

sou um ser egoísta, não posso negar.

procuro o que me dá prazer e o que me faz bem. não prejudico ninguém, pelo menos de forma consciente, e vivo conscientemente.

não tenho paciência para o aiai, aiaiai de muita gente.

acredito que não tenho de gostar de toda a gente, nem toda a gente tem de gostar de mim!

também já fui uma aiai, aiaiai! não profissional, mas admitindo que tinha algum prazer em lamentar-me ao nível de uma atriz de uma qualquer telenovela mexicana.

num daqueles dias de aiai, aiaiai por causa de um qualquer mal de amor, que era incontestavelmente o homem da minha vida (como foram outros a seguir), estava eu afundada numa brutal infelicidade, quando por outra adversidade do universo - o de não ser milionária - tive de me arrastar para o trabalho. tinha agendada uma entrevistar com uma rapariga especial para fazer uma peça sobre a sua história de vida.

 tive nesse dia uma grande lição.

a miúda tinha uma doença congênita rara. embora tivesse um desenvolvimento cognitivo normal para qualquer pessoa de 26 anos, o seu corpo não se tinha desenvolvido (não tinha formados membros superiores ou inferiores, e o tronco era semelhante ao de uma criança de 4 anos, apenas a cabeça era proporcional à de uma pessoa adulta - um ser humano totalmente dependente de outros). esta pequena sorriu durante toda a entrevista, contou piadas (com efetiva graça), enquanto descrevia as dificuldades que foi e vai encontrando na sua vida e na sua procura de autonomização. partilhou também as suas conquistas. estava, naquele momento, a trabalhar e a concluir o seu mestrado.

com todas as condicionantes da sua vida, era feliz.

 

lição de vida

 imagem retirada daqui

 

eu, no meu íntimo, enquanto a ouvia, sentia-me extremamente envergonhada do meu aiai, aiaiai

desde esse dia relativizei todos os aiai, aiaiai, - os meus e os dos outros.

a nossa vida é uma construção nossa. a nossa felicidade depende da nossa atitude perante as coisas negativas da vida. 

acabemos com o aiai, aiaiai, que nos consome energia - a nossa e a dos que nos amam - e é um ato de cobardia e passividade.

 

 

30 dias de gratidão #13 porque capacidade estás grata?

pela capacidade de procurar a felicidade

dia dos namorados: sugestões para gajas como eu

gosto do dia dos namorados, também gosto que me cocem as costas.

muitos ressabidos vão responder-me que é mais um dia para promover o consumismo, eu diria que é um dia (muito) chato para os gajos (coitados) que não acertarem "na prenda certa” para os seus amorzinhos.

o dia dos namorados pode ser como o dia da árvore; pode ser aproveitado para plantar (mais) amor.

as frustradas (que nunca tiveram um dia dos namorados como deve ser) vêm e dizem que o amor é para ser valorizado todos os dias. por acaso até concordo!

no entanto, que o celebremos todos os dias não invalida que o enalteçamos num dia em comunhão com tantos outros seres que se amam (não me refiro a orgias nem bacanais [a não ser que o casal assim o queira], refiro-me à comunhão de energias - cada qual com a sua cara metade, no local que mais os inspire).

posto isto, e para abreviar, o que gajas como eu não suportam no dia do enaltecer do amor em comunhão energética:

.jantares marcados em restaurantes com programas especiais para o dia dos namorados – está ao nível dos jantares do dia das mulheres!

. prendas, prendinhas ou prendonas que se resumem a objetos (perfumes, casacos, botas, flores, peluches - ai se o desgraçado me oferecesse um peluche! anéis - nem o de noivado! há tantos outros dias para este louco gesto!)

.qualquer piroseira que me deixasse exposta num lugar qualquer, tipo serenata ou sei lá eu (só de imaginar já paraliso)

 

o dia dos namorados é uma inspiração/desculpa para fazer novas coisas ou as mesmas coisas de forma diferente, a dois: ter prazer a dois; rir a dois; comer a dois; viajar a dois; fazer loucuras a dois; experimentar, a dois, novas coisas...em fim, construir novas memórias - agora todos em uníssono - a dois 

pense no que a sua cara metade gostaria de fazer que ainda não fez, no que ela gostaria de experimentar, que loucura/aventura teria piada para ela, desafie o seu "lugar comum"... dedique-se a ela, pense nela e promova (mais) um momento inesquecível a dois.

 (.meu.mais.que.tudo.) ficam aqui algumas sugestões de prendas para gajas como eu:

.um jantar a cegas (efetivamente em total escuridão para sentir em profundidade todos os outros sentidos)

.uma noite num hotel suspenso nas nuvens

.um kit sexy com jogos, desafios, prémios e castigos (bons)

.um piquenique com queijos, uvas e vinho tinto no topo de uma montanha, que subimos a dois (a tenda para lá pernoitar é um plus)

.aquilo que não me lembrei e que efetivamente me surpreenda

dia dos namorados

imagem de karen warfel

 

 

que posso eu dizer, sou uma moça simples de gostos complexos 

#7 - por que recordação estás grata?

tantas... tantas ... algumas das quais escondidas e despertas por determinados odores, locais ou palavras.

fui aligeirando a minha bagagem ao longo da vida... assim, resta-me agora, uma bagagem funcional e repleta de coisas boas.

ao ter de selecionar uma e apenas uma recordação da minha vida, optarei, hoje...amanhã poderia ser outra, por escolher recordar a primeira vez que vi o meu mais que tudo a dormir, lindo, calmo e desprotegido; a imagem perfeita de um rapazinho grande.

 

 

comedy against trumpism - europa unida

o que fazer quando há um homem, com bastante poder, que só anda a fazer bosta?

torna-lo uma paródia parece-me uma excelente opção!

"Este vídeo faz parte do movimento Comedyagainsttrumpism, para o qual tivemos a honra de ser convidados. Bélgica, Espanha, Alemanha, Áustria, Suiça, Dinamarca, Islândia, Estónia, Lituânia, Eslováquia… e até a Austrália, competem connosco pelo segundo lugar na gavetinha do Trump." - filomena cautela, 5 para a meia noite (02/02/2017). a holanda está também no barco (obviamente) !

vale a pena ver :) 

se encontrarem mais...por favor partilhem comigo 

 

 

  só faltou introduzir a nossa gastronomia que é rica e variada...nada com que os americanos possas competir 

 

e assim introfuzimos, continuando com os 30 dias de gratidão, o #4 - por qual comida estás mais grata?

adoro comer. a minha paixão não reside na quantidade mas sim na diversidade. adoro viagens gastronómicas.

vi há anos um filme (tenho pena em não me recordar qual ) em que uma personagem dizia que deveríamos experimentar um novo sabor por dia para ativar novas sinapses nosso cérebro. este é um desafio que tenho sempre presente!

mas aqui o desafio é identificar a comida pela qual estou mais grata e a única forma que tenho de pensar nisso, para fazer uma escolha, é pensar que se tivesse de comer o mesmo alimento até ao final dos meus dias...qual seria, pelo sabor e diversidade de formas de consumir. 

(imaginem o som dos bongos)

- milho -

christmas-791110_1280.jpg

fonte da imagem: kaboompics

qual a semelhança entre a interrupção voluntária da gravidez e a eutanásia?

quando existiu a primeira discussão sobre a despenalização da interrupção voluntária da gravidez, andava eu no liceu, chegava a casa e ligava a tv na rtp2 para ver a discussão no parlamento. vejam lá que na altura o meu ídolo político era odete santos! 

das coisas que mais retenho dessa fase em que começou o meu interesse pela política foi entender a importância de se criarem leis que permitam a liberdade de escolha do indivíduo, sem interferir na liberdade dos outros. 

na altura havia uma forte questão de linguagem sobre o se ser a favor das despenalização da interrupção voluntária da gravidez ou o se ser a favor do aborto; para muitos era a mesma coisa. as campanhas contra a despenalização optavam pela segunda abordagem, pois ninguém queria ser a favor da morte de "bebés"!

este tema foi, à segunda, ultrapassado. recordo-o porque estamos perante uma situação semelhante, ao nível da abordagem da questão, agora a respeito da eutanásia. não estamos aqui a discutir quem é a favor da morte ou se quisermos do homicídio ou suicídio.

discute-se o direito a cada pessoa poder escolher sobre a sua vida.

porque pode uma pessoa saudável, ou pelo menos capaz de cometer o ato, suicidar-se e, uma pessoa doente e fisicamente incapaz, não? não terá ela o mesmo direito de decidir sobre a sua vida?

quem somos nós para impedir que alguém decida sobre a sua própria vida? essa decisão compete a cada um. ninguém vive na pele do outro e por isso não tem o direito de limitar as escolhas do outro à sua visão do mundo!

a eutanásia terá, obviamente, de ser legislada para que o indivíduo fragilizado seja protegido e a decisão, de pôr termo à sua vida, seja sua e não doutros. porém, não deverá ser pela dificuldade em legislar e pela sensibilidade do tema, que se limite a liberdade do cidadão.

por questões alheias à minha vontade no passado domingo fui à missa. foi bom, lembrei-me porque deixei de ir! no final da missa o sr. padre vomita o seguinte discurso (numa igreja com 75% de seniores): "vai estar em discussão a questão da eutanásia. como bons cristãos temos de ser a favor da vida, portanto contra estas iniciativas. há muitos filhos que para ficarem com a herança dos pais, maltratam-nos para estes perderem a vontade de viver, pedindo assim para morrer. se os pais se sentirem amados, mesmo em sofrimento, vão querer viver."

i rest my case

 

 

 

para respirar fundo e aligeirar, vamos continuar com o desafio da gratidão.

gratidão#3 - por qual cor estás grata?

estranhamente esta é um questão complicada para mim ... e não por ser daltónica

gosto de uma palete de cores que têm diferentes efeitos em mim e com as quais me sintonizo de acordo com o meu estado de espírito.

estou grata pela existência das cores e da sua capacidade de emoldurarem o nosso sentir.

mas tendo de escolher só uma, será o azul pastel. esta cor traz-me muita tranquilidade e paz.

é a cor do mar no verão e do céu iluminado pelo sol. é a cor do olhar do meu amado. e, sobretudo, é a cor dos estrunfes 

sheep-1476781_1280.jpg

 fonte da imagem: digipd

  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

instagram

facebook

pinterest

blogs portugal

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D