Follow my blog with Bloglovin

Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

mami

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

. lifestyle . | devaneio & introspeção | descobrir | experimentar | partilhar | viver | sentir | amar | lutar | conquistar | desafiar | vencer | felicidade de ser e estar e não saber se se quer mais

panquecas de banana

fui tomar pequeno almoço a casa da minha meia laranja e descobri mais uma receita simples (apenas 3 ingredientes) e saudável!

pequeno almoço para 2-3 pessoas

 

ingredientes:

.2 bananas maduras

.4 ovos

.canela em pó

 

 

preparação:

pissa as bananas com um garfo. adiciona os ovos inteiros. a canela a gosto. envolve bem.

coloca a quantidade do preparado na frigideira antiaderente e deixa cozinhar (a quantidade depende de como gostas das panquecas: mais ou menos altas). vira para que cozinhe dos dois lados. (se a tua frigideira nao for antiaderente podes usar um pouco de manteiga).

 

acompanahmento:

graças às bananas a panqueca fica bastante doce pelo que o meu acompanhamento escolhido é salgado:

queijo fresco - requeijão - queijo flamengo - queijo mozarela

se formos para o inferno nós lá nos orientamos!

berlim

viajar sempre foi uma paixão. a europa com tantos locais a conhecer, aqui tão perto e graças às low cost tão acessíveis.

viajar anos atrás era um projeto a longo prazo, financeiramente enquadrado... agora saímos passar o fim de semana a madrid, paris ou londres com o mesmo custo de ir a lisboa ou ao porto e isto mudou tudo!
quando comecei a trabalhar eu e um grupo mais ou menos fixo de gajas fixes íamos onde a ryanair queria que nos fossemos. volta e meia nos lembrávamos e íamos ao site ver o que andava barato e para quando e … la íamos nós! 
lembro-me da viagem a paris  por 18€ (ida e volta com taxas incluídas!) ou a londres por 30€ ... em 4 anos fomos a todas as capitais europeia que a companhia aérea proporcionava: paris, londres, dublim, madrid, amsterdão, edimburgo... depois outras cidades “menos” importantes como barcelona, valência, milão, marselha. com outra low cost pude ainda conhecer menorca, maiorca, tenerife, gran canária, s. miguel, budapeste, viena de áustria... 
e novos destinos hajam que novas viagens se fariam!

o meu entusiasmo esmoreceu um pouco. os vários atentados que assolaram a europa criaram em mim o receio de me aventurar na descoberta de novos lugares. sempre perspetivei as viagens como fontes de prazer onde o medo não se enquadra.
este ano não viajei para nenhuma cidade europeia, até agora.
uma viagem agendada para berlim rompeu com esta fase de privação. nunca antes senti o receio de viajar que agora sinto. para além de berlim ser berlim e só por isso um alvo como qualquer outra grande capital europeia, a minha viagem decorre enquadrada numa prova internacional que enche a cidade com pessoas dos 4 cantos do mundo... a maratona de berlim. 
sei que pode ser um receio estupido por razões egoístas, porém incomoda-me não poder passear pela minha europa sem este receio pairar na minha mente.

nos dias que precederam a prova olhava com desconfiança para qualquer pessoa “suspeita” na minha mente estereotipada. no dia da prova imaginei imensos cenários possíveis. sabemos que do nada alguém com uma arma, munido de explosivos, ou no comando de um qualquer veículo pode matar e ferir pessoas por puro capricho em nome de algo que nem sei se ele entende bem (eu certamente não entendo).
qualquer ato de missão, não refletida na sua essência é pura estupidez.

as pessoas não poderem viajar sem o receio destes lunáticos é pura estupidez. 
sempre defendi o "vive e deixa viver", por favor senhores chateados com o capitalismo ocidental vivam com isso e deixem- nos viver... se formos para o inferno nós lá nos orientamos!

 

diz-se que: ao escrever isto dou uma prova viva de medos infundados. 

músicas & momentos

todas nós temos aquela(s) música(s) que ouvimos no final de uma relação. músicas que nos ajudam a martirizar e a abrir as torneiras :)

acho terapêutico cantar aos berros entre lágrimas o nosso desamor.

as nossas amigas são companheiras na nossa viagem e pesquisa no youtube das nossas músicas.

a coisa acaba mais ou menos sempre igual: gargalhadas entre lágrimas, um "copito" (adoro eufemismos) a mais e um gang feminino contra o sexo masculino - o visado e todos os outros, pois claro, são todos iguais.

este é um belo exemplo desses momentos:

fica a letra e o original de massiel

deja de pensar, y cuéntame,
ya se que ayer estabas junto a él y hoy
se ha ido.
ya se que has compartido junto a él
la noche tibia y el amanecer.
ya se que as descubierto junto a él,
la dicha.
ya se que se a parado tu reloj,
pero ahora mismo vas a echarlo andar,
es pronto para dar por un amor,
la vida.
coro
bailaremos un vals,
tomaremos después una copa de más,
y hasta que salga del sol cantaremos al son
de una vieja guitarra.
brindaremos por ti,
brindaremos por el porque le vaya bien,
y mañana verás que es mejor olvidar
que llorar un amor.

vuelve a sonreír, olvídate,
la vida es ancha y estos golpes del amor
se olvidan.
después de cada noche sale un sol,
y vuelven las gaviotas a volar,
después de la tristeza nacerá
la dicha.
sí hoy te han maltratado el corazón,
y duerme junto a ti la soledad,
no importa porque empieza un día más,
la vida.

 

diz-se que: no hay mal que dure 100 años ni cuerpo que lo aguante

dona de casa desesperada

nunca fui uma pessoa que se divertisse com a limpeza e organização do lar, certamente esse extra não veio com as minhas definições de origem e, com o passar tempo, nunca fui quitada com tal elemento. assim, utilizo a lei do menor esforço em tudo o que concerne à conservação e manutenção da higienização da habitação.

há no entanto certos fatores que me agoniam a alma, nomeadamente o bolor nos espaços entre azulejos no chuveiro. por mais que esfregue, aquela massa nojenta de fungos, apenas se esbate.

sou consciente de que o que para mim é um exercício infindável de esfreganço, para qualquer boa dona de casa é o momento introdutório do ritual de limpeza.

não posso deixar de recordar a técnica de uma das pessoas mais conscienciosas e rigorosa que já conheci no campo da limpeza: no final de tomares banho, deves esfregar os azulejos e a cabine do duche de modo a que tudo fique limpo – perante a minha questão: mas vou sujar-me depois de tomar banho? não faz sentido! ela apenas respondeu: sujar? mas onde tomas tu banho? juro que imagino a cara de nojo e de desprezo desta deusa da limpeza se visse o bolor no espaço entre os azulejos do meu duche!

bem, era tal o meu desespero que ponderei chamar alguém da área da limpeza para intervir (uma daquelas senhoras que por 5€ a hora esfrega incessantemente ate tirar o brilho de azulejos, fogões e outro qualquer lugar ou por vezes riscar e estragar... ops muita intensidade! estava apenas a arrastar a situação em função do orçamento.

é aqui que o milagre aconteceu! um génio concedeu-me o desejo da libertação! disse-me apenas: borrifas-me entre eles, dás-me 10minutos e verás! e vi! e senti um misto entre a incredulidade e a plena gratidão. todo o bolor desapareceu, os espaços entre os azulejos estavam de um branco perfeito … sem eu ter feito o menor esforço! senti um pleno prazer, a libertação de toda a tensão acumulada. sorri, saltei, gritei!

 

o génio chama-se uhu !

 

diz-se que: há magia no ar 

overnight oats de banana em ... deliciosas camadas

delicioso e simples. satisfação garantida!

 

ingredientes:

.2 colheres (sopa) de flocos de aveia
.6 colheres (sopa) de leite (de origem animal ou vegetal)
.1 banana

.6 framboesas
.1 iogurte solido (escolhi um activia cremoso de framboesa e mirtilo)

.1 colher (sopa) de sementes chia

 

 

 

 preparação:

coloca num frasco com tampa, os flocos de aveia e o leite. deixa repousar por 10m.

corta a banana em rodelas finas e coloca metade sobre o preparado anterior. adiciona 1/2 iogurte misturado com a chia.

de seguida dispõe sobre o preparado anterior as restantes rodelas de banana e cobre com a outra metade do iogurte. por último coloca as framboesas.

fecha e leva ao frigorifico durante a noite.

 

pela manhã:

delicia-te :)

 

diz-se que: ao servir podes acrescentar frutos secos triturados ou coco ralado

 

vê outras receitas com aveia:

delícia de chia e aveia

papas de aveia

bolachas e panquecas de aveia

leite de aveia

overnight oats com manteiga de amendoim

 

 

que dirias ao teu “eu” do passado se pudesses encontra-lo?

que dirias ao teu “eu” do passado se pudesses encontra-lo?

 

faz tempo vi um filme, não recordo qual, em que uma personagem colocava à outra a seguinte questão: que dirias ao teu “eu” do passado se pudesses encontra-lo?

 

decidi responder à questão. não foi fácil. tento ser uma pessoa coerente. sempre proclamei que não me arrependo de nada no meu passado, pois todas as quedas foram dores de crescimento. sou uma mulher forte em consequência da minha experiência. 90% dos dias gosto da mulher que sou, nos outros 10% estou com o período. por isto e acreditando no efeito borboleta, qualquer alteração que fizer no passado, necessariamente irá influenciar o presente, num sentido difícil de prever (tendo em conta os diversos fatores). assim a resposta a esta questão, torna-se simplesmente complicada.

 

a nível amoroso e das amizades não mexia uma palha, não porque tenha feito as melhores escolhas, mas porque cresci no sentido certo.

a nível familiar podia ter sido menos parva com a minha mãe durante a adolescência mas vá isso faz parte da estupidez inerente à idade.

é a nível profissional que faria outras escolhas, especificamente na escolha do curso. sempre fui uma excelente aluna a ciências, mas com uma obsessão pela área social e pela educação, a formação do indivíduo e pela possibilidade de dar o meu contributo na construção de um mundo melhor e mais justo - próprio de uma princesinha de 18 anos. por descargo de consciência (e alguma pressão) candidatei-me em metade das opções (então 6) a áreas científicas - claro que foram as 3 últimas opções e óbvio que entrei logo na segunda opção (de área social/educativa).

adorei o curso, desde que me formei sempre trabalhei, mudei de emprego quando quis novos desafios e em breve mudarei de novo. mas, honestamente, já cansei de trabalhar numa área que nós dá tão pouco quer a nível de satisfação e objetivos alcançados, quer a nível económico e de progressão na carreira.

 

então respondendo à questão “que dirias ao teu “eu” do passado se pudesses encontra-lo?” :

mami, sei que anseias contribuir para uma sociedade mais justa através da educação de crianças e jovens, pois serão estes os decisores do futuro, porém tu já fazes esse trabalho nos grupos informais nos quais estás envolvida e poderás fazê-lo em tantos outros no futuro.

para ajudar outros é essencial que estejas bem com o teu “eu”. escolhe um curso que te traga prazer e em simultâneo satisfação e desafios, com possibilidades de ascensão profissional, estabilidade económica e paz. assim poderás usufruir do melhor dos dois mundos.

nenhum caminho será fácil, mas o social e educativo será o mais difícil; correndo o risco que o que hoje te revolta, no futuro se torne banal tendo tu de lutar contigo mesma para não ficar indiferente. sei que parece impossível, mas não o é. e isso não te tornará má pessoa, mas apagará um pouco da tua fé na humanidade.

 

diz-se que: gostaria de saber se respondes à pergunta

por detrás das letras #2

esta semana trago uma música da minha banda portuguesa preferida: xutos & pontapés.

os xutos são uma paixão de sempre, uma presença contínua no meu crescimento.

música de acordes simples e mensagem direta, sem complicações ou pretensões.

circo de feras foi uma música que assim que saiu se entranhou.

como sempre, dizia-se mais uma canção de amor, um amor conturbado, uma relação de amor-ódio- desejo-dependência.

a luz sobre o significado desta canção chegou num concerto dos xutos. enquanto a banda tocava e eu gritava a canção (infelizmente eu não canto... o que faço mais se aproxima a grito ou guincho) e uma amiga pergunta: sabes do que falam? eu prontamente respondi: de um amor qualquer. ela sorri abana a cabeça e diz: fala da dependência de drogas!

a vida vai torta
jamais se indireita
o azar persegue
esconde-se á espreita

nunca dei um passo
que fosse o correcto
eu nunca fiz nada
que batesse certo

refrão:
enquanto esperava no fundo da rua
pensava em ti e em que sorte era tua
quero-te tanto...(quero-te tanto)
quero-te tanto...(quero-te tanto)

do modo que a vida
é um circo de feras
e os entretantos
são as minhas esperas

 

vamos lá tentar a sorte! again

mais miminhos para nós ... ou pelo menos a possibilidade que talvez, quem sabe...quiçá :)

 

1 - voucher de 50€ para gastar na loja online da mo , num passatempo da revista máxima (até 20 de setembro)

passatempo MO MAXIMA

(imagem retirada do site da revista máxima)

 

2 - uns lindos brinscos vanglória, um passatempo da Lux Woman (até 22 de setembro)

nautilus-toujour passatempo

(imagem retirada do site da lux woman)

 

 diz-se que: boa sorte :)

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

instagram

facebook

pinterest

blogs portugal

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D